Arquivo mensal: novembro 2011

Vênus entra no Signo de Capricórnio

Continuando o seu eterno caminhar pela roda zodiacal, o planeta Vênus adentra o signo de Capricórnio, dando início a um ciclo de realização do amor integral.

Senhora dos afetos e amores, dos risos e das graças, a deusa grega Afrodite, miticamente associada ao planeta Vênus, é o símbolo do Amor, em suas diferentes formas e manifestações. Seu filho Eros (ou Cupido) era o encarregado de espalhar esse sentimento pelo mundo, entre os deuses e os mortais, através das flechas do desejo, disparadas pelo seu certeiro arco.

Vênus, Deusa dos Amores e Paixões

Ao transitar pelo signo de Capricórnio, Vênus nos impulsiona ao resgate do Amor, em sua plenitude e totalidade, convidando-nos à entrega integral ao sentimento. Ou seja, se você ama, deve amar por inteiro; e, mais importante : deve buscar a realização desse amor, consolidando-o, sedimentando e edificando. É importante, pois, que o sentimento e a realização afetiva estejam cristalizados sobre uma base sólida, de estruturas seguras. Afinal, nenhum edifício se sustenta sobre alicerces que não sejam provados e bem estaqueados. Porém, lembre-se de que o verdadeiro Amor só se realiza na medida em que o ente amado se realiza; a tudo suporta e compreende; não é egoísta nem interesseiro.

É importante, igualmente, relembrar os dizeres de Platão acerca do Amor : o ser humano até pode começar por amar as belas formas, porém é necessário desenvolver o Amor pelas belas almas. O sentimento do Amor é eterno na exata medida em que o objeto desse sentimento é eterno; o Amor suscitado pelas belas formas é absolutamente finito e efêmero, uma vez que todo corpo encontrará, fatalmente, a dissolução; o Amor pelas belas almas, por seu turno, é eterno, uma vez que o objeto desse Amor, a alma, é eterna.

Em Shakespeare, Julieta, ao ouvir seu amado Romeu jurar-lhe amor eterno, roga-lhe que não o faça em nome da luminosa Lua, que, com suas quatro fases, é símbolo de inconstância e fluidez. É mais interessante, por exemplo, calcar o seu amor pelas estrelas, essas sim, eternas e imutáveis.

Interessante notar que, logo após a entrada em Capricórnio, Vênus recebe a visita da Lua, que, mais rápida, avança até encontra-la. Esse é um inequívoco sinal de valorização do feminino e do sensível, ao longo do tempo em que Vênus estiver transitando em Capricórnio.

E mais: um período (de curto prazo) pleno de significados se inicia nesse momento, pois instaura-se um ciclo sinódico Lua-Vênus.

O ciclo sinódico entre dois planetas se dá da seguinte maneira: na conjunção (quando os dois planetas se encontram no mesmo grau do Zodíaco), inicia-se um ciclo, novas sementes são lançadas, algo novo começa. O planeta mais

rápido continua avançando e, na oposição (quando os planetas estão a 180º), esse ciclo atinge o seu máximo. Nesse ponto, as sementes lançadas no momento da conjunção frutificam (para bem ou para mal) e rendem resultados. Mas, entre a conjunção e a oposição e vice-versa existem dois momentos em que os planetas se colocam em quadratura (a 90º um do outro). Os pontos de quadratura representam momentos de crise, de oportunidade. A quadratura crescente (entre a conjunção e a oposição) está relacionada a crescimento. Às vezes, nesta fase, faz-se necessário um ajuste ou reordenamento de metas, para que os projetos ou vivências iniciadas na conjunção continuem ou até mesmo se extingam de vez. Já a quadratura minguante (entre a oposição e a conjunção) está relacionada a uma crise que solicita novos ajustes, porém com vistas ao encerramento do processo.

E, na nova conjunção, o ciclo é definitivamente encerrado e um novo se inicia.

Alguns desses ciclos duram um mês, como é o caso dos ciclos envolvendo a Lua (em Astrologia, Sol e Lua são considerados planetas, pois são, igualmente, “planos” da alma). Outros duram vinte anos, como é o caso do ciclo Júpiter-Saturno.

Quando observamos esse tipo de ciclo, percebemos que o tempo e seu desenrolar em nossa vida fica impregnado de significados. E vivemos em meio a uma infinidade desses ciclos, que se mesclam e se interpenetram entre si.

E a conjunção Lua – Vênus ocorrida agora inicia um novo ciclo que deverá desenrolar-se da seguinte maneira:

Conjunção (início do ciclo): 26 de Novembro, hoje.

Quadratura Crescente (crise de expansão): em 03 de Dezembro.

Oposição (apogeu do ciclo): em 13 de Dezembro;

Quadratura Minguante (crise de encerramento) : em 20 de Dezembro;

Nova conjunção (fim do ciclo e início do próximo): 27 de Dezembro.

Note que esse é um ciclo de curto prazo, mas, nem por isso, menos importante do que ciclos maiores. Fique atento ao que ocorre nos entornos dos dias indicados. E aproveite para usar os momentos cíclicos a seu favor, em vez de nadar contra a correnteza cósmica. E como o ciclo ocorre inteiramente com a Vênus em Capricórnio, o momento indica cristalização e sedimentação de sentimentos.

Nesses primeiros dias do ciclo, momento de semeadura, desejamos-lhe boa sorte!

Anúncios

O Sol entra em Sagitário

Continuando o seu inexorável caminhar pelo círculo zodiacal, o astro-rei adentra o signo de Sagitário, às 13h08 deste dia 22 de Novembro, dando início a um ciclo de busca da transcendência e da expansão consciencial, onde, após o mergulho nos mistérios da transmutação (em Escorpião), a consciência busca vôos mais elevados.

Mitologicamente, o signo de Sagitário, último dos signos do elemento fogo, está associado ao mito do centauro Quíron, o grande sábio e médico, que habitava uma gruta na Tessália. As mais importantes famílias da Grécia enviavam-lhe seus filhos para que os educasse. Assim, os maiores heróis da Mitologia passaram por suas mãos, recebendo ensinamentos em Medicina, Matemáticas, Música, Astrologia, Dança e também nas artes da equitação e caça.

Seu mais famoso discípulo foi o grande Hércules, que se tornou também seu maior amigo.

Um dia, num conflito com os outros centauros, Hércules dispara uma de suas temíveis flechas, envenenadas com o mefítico sangue da Hidra de Lerna, um monstro tão peçonhento que qualquer criatura, ao ser contaminada com seu sangue, morreria instantaneamente. Isso se o ser em questão fosse mortal. Mas, se fosse imortal, seria acometido de uma ferida atroz, incurável, que o acompanharia por toda a eternidade.

Acidentalmente, a flecha resvala e vai se cravar na coxa de Quíron que se torna vítima da mais terrível ferida.

E o grande cirurgião, que a todos curava, não pode curar a si próprio.

O arqueiro dispara a flecha na direção do Infinito!

Quíron abdica de sua imortalidade, para encontrar a paz entre os mortos, no reino de Plutão. Mas, percebendo que aquele não é o lugar para um ser tão divinal, Plutão o reenvia para Zeus, o soberano dos deuses, que resolve catasterizá-lo, ou seja, transformá-lo em constelação, para que os homens sempre tivessem um exemplo, no Céu, de que a eterna sabedoria não morre jamais. E assim surge a constelação de Sagitário, o arqueiro.

O centauro, animal mítico metade homem, metade cavalo, utilizado para representar o signo de Sagitário, simboliza três níveis evolutivos: em primeiro lugar, a bestialidade, representada pelas patas do cavalo; depois, a racionalidade, que vence a animalidade e é representada pela metade humana; e, finalmente, a busca da transcendentalidade, simbolizada pela flecha que o centauro dispara em direção ao Infinito e que está para além da própria razão. A flecha (palavra oriunda do vocábulo frâncico “fliugika” = aquilo que voa”) é o veículo simbólico através do qual a consciência se aparta do indivíduo a fim de unir-se ao seu Alvo, o Céu, em cuja direção viaja, lançada pelo arco certeiro do Centauro.

A entrada do Sol em Sagitário é um convite do Cosmos a que lancemos nossa consciência em direção ao Infinito, buscando o conhecimento que nos permite desapegar-nos das contingências da realidade e transcender aos verdadeiros valores do Sagrado. Mas lembre-se de que a vivência do Sagrado não é necessariamente uma vivência religiosa, pois a religião não detém o monopólio do Sagrado.

Aproveite. Pois há uma dimensão de sua alma que só pode ser preenchida e plenificada através desse sentimento de busca do eterno.

Geninha da Rosa Borges: Brilho e Paixão

Recife, dia 11.11.11.

Entre tantas manifestações sem significado (ou que tentam atribuir significado a algo que não tem), o Espaço Pasárgada, equipamento cultural ligado à Fundação do Patrimônio Artístico e Cultural de Pernambuco (FUNDARPE) realiza o belo evento 11.11.11 – Misticismo e Erotismo em Bandeira, sarau poético em que onze poetas apresentariam onze poemas de Manuel Bandeira.

Com a certeza de que qualquer coisa ligada à poesia de Manuel Bandeira será, certamente, impregnada de significdo, acorro.

Para quem não conhece, vale a pena visitar, na Rua da União, a casa onde viveu o grande poeta pernambucano, hoje transformada em museu e espaço cultural.

Enquanto esperamos o início das performances, encontro nada mais nada menos do que Dona Geninha da Rosa Borges, a grande dama do teatro pernambucano.

Sem conseguir resistir à aura de beleza e nobre simplicidade que emana dessa grande artista, do alto dos seus 89 anos, aproximo-me e sou acolhido com calorosa simpatia.

Dona Geninha e Haroldo

Ela me fala das suas experiências no palco, do casamento de cinqüenta e seis anos, do Teatro de Amadores de Pernambuco, de suas passagens na televisão e no cinema. Declama poemas em alemão, em italiano, em inglês, em espanhol. Discorre sobre sua paixão por Garcia Lorca e Borges.

Uma festa de alegria, conhecimento, leveza, força.

Na roda, um jovem poeta pernambucano, Bernardo Souto (guardem esse nome!). Provocamos para que declame algo e ele nos brinda com o Soneto Inglês Número 2. De Bandeira, claro!

E depois comenta, citando Keats: “A beleza traduz uma alegria eterna”. Dona Geninha se emociona e pede para anotar!

Depois, provoco-a, perguntando que papel ela sonhou em fazer, que personagem faltou. Ela pensa e responde:

“Fiz oitenta peças, oitenta personagens. Não me faltou nada!”

Geninha da Rosa Borges em foto de 1978

Dona Geninha tem o Sol no signo de Câncer, a zero graus, ou seja, no ponto onde as forças do signo costumam ser bastante intensas. E tem o signo de Leão ao meio-do céu, no ponto mais alto do horóscopo. Isso pode explicar a sua presença de palco e a sua extrema sensibilidade, assim como a sua simpatia e a facilidade de se relacionar com as pessoas.

Geninha da Rosa Borges, nascida em 22 de Junho de 1922, às 15h00, no Recife.

Mas Dona Geninha tem a Lua dominando o seu mapa. E, como é comum acontecer com as pessoas com esse tipo de configuração, tem a grande capacidade de viver a magia, o encantamento que a Arte propõe. E, o que é mais importante, emocionar a todos nós.

Tanto é que, quando pergunto:

“O ator faz novela para abastecer o bolso, mas abastece a alma no teatro?”

Os olhos brilhantes, ela responde:

“Nada pode substituir a emoção de estar no palco, de ser muitas pessoas além de mim mesma…”

E essa emoção toda recebe influxos positivos de Saturno, o estruturador, na Casa XI, que confere a ela a capacidade de usar essa magia para impactar as pessoas e transmitir algo que as emocione.

Finalmente, pergunto sobre o título de “Grande Dama do Teatro Pernambucano”.

E ela responde, ainda mais emocionada:

“Esse título não me pertence, mas sim a Diná (Diná de Oliveira, atriz, esposa do fundador do Teatro de Amadores de Pernambuco, o Dr. Waldemar de Oliveira). E sempre que alguém me chama assim, eu cumpro a promessa que fiz a ela, em oração, após a sua morte, de sempre esclarecer que é ela, e não eu, a merecedora dessa honra”.

Assim vemos que Dona Geninha, a grande artista, a atriz, a diretora, a professora, tem ainda o espírito adornado com essa preciosa jóia: a humildade.

 

 

 

Tipos de Análise Astrológica

Além da interpretação astrológica básica, existem inúmeras outras maneiras pelas quais a Astrologia pode ajudar você. Conheça algumas delas.

Análise Astrológica Arquetípica

Ao criar o conceito de arquétipo, o psicólogo suíço Carl Gustav Jung  abriu as portas da ciência para o reencontro com o que de mais precioso o homem possui: os símbolos contidos em seus níveis psico-mentais inconscientes. Cada arquétipo está associado a uma função psico-mental: o guerreiro, o aprendiz, o mago, etc. E cada planeta, no mapa astrológico, está associado a um arquétipo e a um instrumento arquetípico. Conhecer os seus arquétipos e os instrumentos, talentos e potenciais associados a eles, eis a proposta da análise astrológica arquetípica.

Análise Astrológica Alquímica

O funcionamento do sistema humano está associado a leis universais que regem a própria Natureza e o Cosmos. Os antigos alquimistas, conhecedores dessas leis, associavam o movimento celeste dos planetas aos movimentos psicobiológicos, aplicando sua estratégias de cura a partir dos significados dessa correlação céu-terra. A Análise Astrológica Alquímica, também chamada de Mapa da Saúde, propõe o conhecimento dessas leis, aplicado ao seu sistema energético-orgânico individual, alertando quanto a pontos frágeis e apontando soluções.

Análise Astrológica Biográfica

Esse método permite transformar o Mapa Astrológico em um relógio qualificador do tempo. A cada batida desse relógio, uma nova nota simbólica se incorpora à sinfonia de sua história pessoal. A análise astrológica biográfica permite rever os diversos momentos da vida, extraindo os significados de cada fase ou fato marcante, desde o nascimento; e prever as tendências e possibilidades futuras e seus significados, o que traz ao ser humano um maior controle sobre a sua vida e, conseqüentemente, uma maior eficácia em buscar a sua felicidade.

Revolução Solar

Análise anual, que permite avaliar, antecipadamente, as tendências e possibilidades do ano que se inicia, a partir da data do aniversário. Mesclando-se com outras técnicas de previsão astrológica, a técnica da Revolução Solar possibilita formatar um quadro anual completo, permitindo montar estratégias de curto prazo altamente eficazes.

Sinastria

A técnica astrológica da Sinastria permite a análise comparativa e superposta entre dois ou mais mapas astrológicos, permitindo conhecer pontos de convergência e pontos de divergência entre pessoas. Utilíssima para casais, a fim de orientar mais eficazmente a relação, é também indicada para pessoas que trabalham em grupo ou em sociedade.

Análise Astrológica Afetiva

“O Amor é a força que move o Sol e as Estrelas”, já dizia Dante. Conhecer e reconhecer os principais padrões de nosso comportamento afetivo é a chave que nos conduzirá a relacionamentos maduros e duradouros. A análise astrológica afetiva foca, à luz das estrelas, nossas potencialidades e desafios, no que tange a essa que é maior força emocional do Ocidente: o amor romântico.

Astrologia Eletiva (Eleição de Horários)

Existe tempo para tudo sobre o céu”, diz o texto bíblico. E como podemos saber o momento certo para cada coisa? Uma das mais antigas práticas astrológicas, a eleição de horários permite eleger o melhor momento possível para um evento, seja um casamento, a fundação de uma organização, o lançamento de um livro ou de um foguete. Com uma “mãozinha” das estrelas, evitamos grandes fracassos e nos aproximamos do sucesso.

 Astrolocalização

O mapa astrológico pode ser graficamente projetado sobre a superfície da Terra. Por meio das técnicas da Astrolocalização, como a Relocação e o Local Space, podemos analisar quais as melhores regiões geográficas do planeta para as mais diversas áreas da sua vida (afetiva, profissional, espiritual, intelectual, etc). Além disso, ao ir para outra cidade, seja para uma temporada curta, longa ou definitiva, o seu mapa relocado para essa cidade pode traduzir facetas diferentes de sua vida e realçar facilidades ou dificuldades que é conveniente conhecer.

Orientação Vocacional

Formação acadêmica ou técnica? Ciências Humanas, Exatas ou da Saúde? Trabalho de pesquisa ou de campo? Ambiente de trabalho desafiador e estimulante ou cooperativo e de grupo? Questões como essas são comuns aos jovens em busca de uma definição profissional e também por pessoas que, estando há muito no mercado de trabalho, pretendem redirecionar suas carreiras. Por ser um retrato de suas potencialidades e desafios internos, o Mapa Astrológico pode ser uma poderosa ferramenta de orientação vocacional, na indicação dos melhores caminhos a seguir para o sucesso profissional e a satisfação pessoal.

Aprofundar o auto-conhecimento é a chave do sucesso, da saúde e da felicidade.

 

 Rua Marcelino Lisboa, 55, Parnamirim CEP: 52.060-040

Fones Haroldo

(81) 9740 93 70 (TIM) 8148 28 31 (VIVO)

9488 62 70 (CLARO) / 8549 26 05 (OI)

    e-mail:   haroldobarros77@gmail.com

Análise Aprofundada de Casas Astrológicas

Análise Aprofundada de Casas Astrológicas

 

As Casas Astrológicas são setores práticos da vida, áreas genéricas do comportamento, para onde podemos direcionar a nossa atenção. Cada uma das Casas, portanto, está associada a um departamento da vida humana, ou ainda a uma ação, prática ou atividade.

São esses, em resumo, os assuntos de cada Casa Astrológica:

Casa I: eu, ego, temperamento, a individualidade;

Casa II: o patrimônio, as finanças, os ganhos, o lidar com o dinheiro;

Casa II: o aprendizado, os irmãos, a comunicação, as pequenas viagens;

Casa IV: a família, o lar, a infância, o passado, as bases emocionais;

Casa V: a auto-expressão, a criatividade, os prazeres e alegrias, os filhos;

Casa VI: o trabalho, a saúde, o cotidiano;

Casa VII: o casamento, as parcerias, os inimigos declarados;

Casa VIII: as heranças, as crises, os recursos partilhados, as mortes (mudanças), as paixões;

Casa IX: o mestrado, as filosofias, os critérios e princípios,  a religiosidade, as longas viagens;

Casa X: a profissão, a imagem social, o status, as conquistas;

Casa XI: os amigos, os grupos, as causas humanitárias;

Casa XII: a vida interior, os inimigos ocultos, o amor universal.

 

Dessa forma, cada Casa conta uma história, que se desenrola ao longo da nossa vida, com todos os talentos que podemos aproveitar em nosso favor, bem como com todos os desafios que termos que vencer.

 

Um detalhamento das questões do mapa astrológico, feito casa a casa, eis a proposta da Análise Aprofundada de Casas Astrológicas.

Com doze consultas (uma para cada casa), com duração de uma hora cada, em que se analisam os fatores de cada um dos setores da vida e com exercícios práticos e reflexivos, a Análise de Aprofundamento do Mapa Astrológico oferece um rico e amplo meio de autodescoberta.

Haroldo José Barros

Astrólogo

(Hipnoterapeuta, consultor em Programação Neurolingüística,

e Hipno-Regressão a Vivências Passadas)

 

Rua Marcelino Lisboa, 55, Parnamirim CEP: 52.060-040

Fones Haroldo

(81) 9740 93 70 (TIM) 8148 28 31 (VIVO)

9488 62 70 (CLARO) / 8549 26 05 (OI)

    e-mail:   haroldobarros77@gmail.com

Astrologia Organizacional

Astrologia Organizacional

“Eu não conheço nenhum milionário que use a Astrologia como fonte de orientação. Só conheço bilionários que usam a Astrologia como fonte de orientação”.

A frase acima, dita por J. P. Morgan, um dos maiores financistas da História, fundador do Banco Morgan, até hoje uma das mais respeitadas instituições financeiras do mundo e um dos cem maiores bancos da atualidade, dá conta do poder de impacto que tem a Astrologia sobre os negócios e o funcionamento das organizações.

Associando conceitos da milenar Ciência dos Céus aos mais modernos paradigmas da Ciência da Administração, a Astrologia Organizacional abre as portas para um sem número de possibilidades de que o moderno gestor pode usufruir, criando diferenciais de qualidade e aumentando as vantagens competitivas de sua organização.

Eis algumas áreas de atuação da Astrologia Empresarial:

Análise de Eventos

Desde a data e hora da fundação da empresa, até o lançamento de novos produtos ou de decisões administrativas importantes, o gestor pode fazer a eleição da melhor data para qualquer atividade, aproveitando as melhores configurações planetárias para potencializar e maximizar objetivos.

Prognóstico Empresarial e Financeiro

Muito mais do que predições ou adivinhações, as tecnologias de prognóstico astrológico propiciam ao gestor uma antevisão de possibilidades e tendências, permitindo mais eficácia no planejamento financeiro, estratégico ou comercial, ajudando a eleger os melhores momentos para as suas ações, projetos e metas.

Astrologia & RH

Seleção de profissionais; formação de high perfformance teams; análises motivacionais; avaliação de perfis profissionais versus as habilidades e competências requeridas para a função;

Planejamento Estratégico Astrológico

A análise do perfil astrológico da organização permite conhecer e reconhecer as vocações naturais, pontos fortes e fracos da organização, assim como as ameaças e oportunidades do ambiente externo, possibilitando maior eficácia no processo de elaboração do Plano Estratégico.

 

Haroldo José Barros

Astrólogo

Rua Marcelino Lisboa, 55, Parnamirim CEP: 52.060-040

Fones Haroldo

(81) 9740 93 70 (TIM) 8148 28 31 (VIVO)

9488 62 70 (CLARO) / 8549 26 05 (OI)

    e-mail:   haroldobarros77@gmail.com

Astrologia de Prognóstico

Astrologia de Prognóstico

Uma das mais úteis e fascinantes aplicações da Astrologia está relacionada com a possibilidade de relacionar os fenômenos da vida humana com os ciclos cósmicos e planetários, propiciando assim conhecer as tendências e possibilidades futuras.

 

Curva de Saturno ou Curva de Recursos de Longo Prazo (Exemplo)

Tudo obedece a ciclos. E sendo a Astrologia, por excelência, a Ciência dos Ciclos, a técnica astrológica permite uma incursão pela ciclologia natural do ser humano, com vistas a conhecer e melhor aproveitar as tendências dessa ciclologia.

 

Curva de Marte ou Curva de Recursos de Curto Prazo (Exemplo)

 

Muito mais do que predições ou adivinhações (amplamente divulgadas pela mídia, que teima em veicular caricaturas distorcidas de uma ciência milenar), as tecnologias de prognóstico astrológico propiciam ao ser humano uma antevisão de possibilidades e tendências, permitindo mais eficácia no planejamento profissional, financeiro, pessoal, afetivo ou social, ajudando a eleger os melhores momentos para as suas decisões, projetos e metas.

Haroldo José Barros

Astrólogo

Rua Marcelino Lisboa, 55, Parnamirim CEP: 52.060-040

Fones Haroldo

(81) 9740 93 70 (TIM) 8148 28 31 (VIVO)

9488 62 70 (CLARO) / 8549 26 05 (OI)

    e-mail:   haroldobarros77@gmail.com

O Que é a Astrologia?


O Que é a Astrologia?

 

Sabemos que a Astrologia tem estado presente nos mais importantes momentos da Humanidade, ao longo da História. Sabemos também das múltiplas possibilidades de aplicação do saber astrológico, nos mais diversos ramos da atividade humana. E sabemos ainda do grande fascínio que a ciência dos céus exerce sobre a maioria das pessoas.

Mas, o que é a Astrologia, afinal?

Evidentemente, qualquer tentativa de conceituar algo tão amplo será tarefa das mais difíceis, face à própria limitação dos conceitos intelectuais humanos. No entanto, poderíamos arriscar o seguinte:

            A Astrologia é a parte da Cosmologia que estuda a relação entre os fenômenos celestes e os fenômenos terrestres.

Entendemos por Cosmologia a ciência que estuda o Cosmos e as relações de suas partes integrantes — inclusive o Homem —, entre si e com o Todo.

Partindo do paradigma cosmológico, tomamos como premissa básica a idéia de que todas as coisas estão relacionadas entre si, funcionando em harmonia, uma vez que fazem parte de um mesmo Universo (é válido lembrar que a palavra cosmos em grego significa harmonia). Esse conceito filosófico era conhecido entre os gregos como simpatia universal e ampara a visão unicista de que o Universo é um único e grande todo, composto por partes interligadas, como os órgãos de um mesmo corpo.

Dentro dessa estrutura de pensamento, a Astrologia, enquanto ciência cosmológica, ocupa-se da suposta relação entre os fenômenos celestes e terrestres e mais ainda: a natureza dessa relação, seus alcances, limites e significados, objetivando o entendimento e utilização desses conceitos na melhoria de nossa qualidade de vida e uma mais ampla compreensão de nossos processos existenciais.

Conhece-te a ti mesmo, Homem, e conhecerás o Universo e os deuses, já dizia Sócrates. Conhecer a si mesmo equivale a conhecer o Universo e vice-versa, já que o macrocosmo (o Universo) e o microcosmo (o Homem) nada mais são do que reflexo e refletor um do outro. Nesse sentido, podemos dizer que todas as infinitas potências celestiais estão armazenadas no interior de nossa alma e, através do conhecimento dos ciclos e movimentos celestes, a Astrologia possibilita estabelecer um retrato do Cosmos no Homem e do Homem no Cosmos, conscientizando-nos acerca de todas as nossas potencialidades latentes e, por outro lado, dos desafios que temos que vencer, ao longo de nossa vida.

Segundo Dante, considerado por muitos o expoente máximo da Literatura no Ocidente, uma ciência é alta, em nobreza, na medida direta em que é alto e nobre o seu objeto. Nesse caso, a Astrologia é a mais alta e nobre de todas as ciências, já que tem por objeto o que há de mais alto e nobre dentre tudo o que existe: o Céu. E trabalhar com essa super-estrutura do Cosmos faz da Astrologia uma super-ciência, capaz de falar acerca de todas as outras e que serve de preparação para a finalidade última da existência: o conhecimento da Divindade.

Haroldo José Barros

Astrólogo

Rua Marcelino Lisboa, 55, Parnamirim CEP: 52.060-040

Fones Haroldo:

(81) 9740 93 70 (TIM) 8148 28 31 (VIVO)

9488 62 70 (CLARO) / 8549 26 05 (OI)

    e-mail:   haroldobarros77@gmail.com

Vênus entra em Sagitário

“A Arte consagra e purifica tudo o que toca”, já disse um poeta. Em verdade, sabemos que a Arte, enquanto veículo a serviço do Sagrado, tem mesmo esse “toque de Midas”, ou seja, é capaz de fazer transcender a realidades mais elevadas qualquer coisa de que se acerque.

Devemos lembrar que o Amor é fruto da mesma rama, ou seja, tem a mesma natureza da Arte; podemos até dizer que não pode existir Beleza (e, conseqüentemente, Arte) sem que a dimensão do Amor se faça presente. E sabemos muito bem que sem Beleza, sem Arte e sem transcendência, não é possível viver, ficando o Homem, nessas condições, condenado a uma sobrevivência.

Isso nos leva a uma reflexão acerca da importância fundamental da Arte na vida humana, que resulta, ainda, do fato de que o próprio homem está feito “à imagem e semelhança de Deus”. Como diz Frithjof  Schuon, “só o Homem é tal imagem de maneira direta, no sentido de que o sua forma é perfeição ‘axial’ e ‘ascendente’ e seu conteúdo é totalidade”.

Fritjohf Schuon, estudioso de religiões tradicionais,autor do livro "O Esoterismo Como Princípio e Como Caminho"

Ou seja, o homem, por conta de seu teomorfismo, é obra de arte e artista, de uma só vez: obra de arte porque é “imagem” e artista porque essa imagem é a do “Artista Divino”.

A Arte humana, portanto, assim como a Arte Divina, deve ser o que prega a “Estética”, ou seja, no dizer de Aristóteles, uma “mimesis”, uma cópia imitadora da perfeição da Natureza e do Cosmos, pois só o Homem, dentre os seres terrenos, pode pensar, falar e produzir obras, só ele pode contemplar e compreender o Infinito, em todos os seus sentidos e, portanto, tem a possibilidade de repetir intencional e sistematicamente, essa infinitude, como forma, inclusive, de resgatá-la para as dimensões práticas da realidade.

A entrada de Vênus no signo de Sagitário, nesse 02 de Novembro de 2011, é um chamado do Cosmos a uma contemplação da beleza do Universo e a uma tentativa de repetição dessa Beleza, em nosso cotidiano. Interessante notar que, no mesmo dia, ocorre um belo sêxtil entre a própria Vênus e a Lua, estabelecendo uma interessante configuração que indica grandes possibilidades de realização dos nossos mais belos sonhos.

Atente, portanto, para as sementes que você estará lançando à terra, pois elas poderão ser os primeiros tijolos de exuberantes e encantadas construções. Aproveite o alto astral para dar um trato ao afeto, vivenciar mais efetivamente sua relação amorosa, de maneira mais artística e inflamada, percebendo a realidade transcendente que há por trás disso tudo.

O planeta Vênus permanecerá transitando em Sagitário até o dia 26 de Novembro, quando ingressará no signo de Capricórnio, o que irá desencadear…

Bem, conversaremos quando Vênus chegar a Capricórnio.

"Asas do Desejo", Dirigido por Win Wenders (1987)

Enquanto isso, fique com a nossa dica cinematográfica: o filme Asas do Desejo, de Win Wenders, que conta uma história de amor tipo Vênus em Sagitário, com uma estética anti-hollywoodiana e pura poesia grafada em película de celulóide.

Somos sete bilhões!

O Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA) decidiu entregar o certificado de habitante 7 bilhões da Terra ao primeiro bebê que nascesse no dia 31 outubro na cidade de Kaliningrado.

E assim, o pequeno Piotr, nascido alguns minutos após a meia-noite, recebeu a honra de simbolizar esse significativo marco

Piotr, o bebê número 7.000.000.000

demográfico.

Obviamente, esse importante cidadão, o número 7.000.000.000 a habitar o nosso simpático planetinha azul, não poderia escapar a uma análise astrológica, uma vez que carrega com ele as esperanças de toda a Humanidade.

Piotr nasce com o signo de Leão ascendente, o que já não é de se espantar, uma vez que os holofotes de toda a mídia mundial se voltam para ele (como todos sabem, leoninos não nascem, estréiam! E com Leão ascendendo, isso não é muito diferente…) Mas tem o Sol em Escorpião e Urano na Oitava Casa do seu Mapa Astrológico, o que indica a possibilidade de reinventar a realidade, propiciando transformações.

Mas quem domina o mapa do pequeno Piotr é o planeta Saturno, o construtor, o estruturador, aquele que representa, dentro de nossa alma, a possibilidade de edificar.

Curioso notar que “Piotr” é o nome correspondente ao nosso “Pedro”, a “pedra”, a “rocha”, a própria matéria-prima da construção. Com pedras, escolhemos construir muros ou pontes.

Nós, astrólogos, somos meio fanáticos por símbolos. Talvez porque saibamos que “tudo manifesta símbolos. Sábio é aquele que, a partir de uma coisa, é capaz de compreender outra”, como dizia Ibn’Arabi, o mestre dos mestres do sufismo.

Assim, esperamos que o jovem Piotr seja a primeira pequena pedra de uma bela construção que a Humanidade, com seus agora sete bilhões de indivíduos, erigirá doravante.

Eu sugiro que pensemos em construir um templo. Aliás, um farol. Bem alto! E que acendamos lá em cima uma Luz que brilhe para sempre: a Luz da nossa Esperança de paz entre todos os homens e povos.

E que os astros nos sejam favoráveis!