Arquivo mensal: setembro 2012

Vênus entra em Virgem

No próximo dia 03 de Outubro, o planeta Vênus adentra o signo de Virgem, inaugurando um ciclo de reflexão sobre a necessidade de resgatar a pureza e os princípios que regem o amor.

 

 “Eu não sou eu nem sou o outro

Sou qualquer coisa de intermédio

Pilar da ponte de tédio

Que vai de mim até o outro”

 

Os versos acima, do poeta português Mário de Sá-Carneiro, retratam uma realidade tanto comum como lamentável: o óbvio fato de que a maioria das relações afetivas fatalmente descamba para a mais penosa e tediosa das agonias. Depois de algum tempo, uma boa parte dos casais apenas “vai convivendo”, sem que isso traga qualquer coisa de significativo ou impactante para suas vidas.

Mário de Sá-Carneiro

Mário de Sá-Carneiro

A entrada do planeta Vênus, regente do amor e do afeto, no signo de Virgem é um convite do Cosmos para que você repense as formas possíveis de resgatar a pureza dos relacionamentos e revisitar os princípios que regem a sua forma de se relacionar.

Observe-se que, lingüisticamente falando, amar é um verbo. Ou seja, uma palavra que designa uma ação, não um sentimento. O amor, um sentimento, é fruto da ação amar. As pessoas, carentes de significado em suas vidas, é que transformam o verbo amar em um sentimento e acabam sendo levadas por esses sentimentalismos e emocionalidades. O glamour hollywoodiano, a literatura e as novelas de TV nos ensinam que nós não somos realmente responsáveis, pois nosso comportamento é fruto de nossos sentimentos. Mas os roteiros cinematográficos não refletem a realidade. Se nossos sentimentos controlarem nossas ações, estaremos abdicando de nossas responsabilidades e transferindo a apenas uma parte de nós o comando de tudo.

Portanto, amar, verbo, não significa sentir algo, mas fazer algo. Amar é cuidar, proteger, partilhar. Amar é considerar, doar-se, manifestar afeto.

As pessoas que amam de verdade fazem do amar um verbo, pois sabem que o amor é algo que se realiza e se cultiva: os cuidados, o desprendimento, o colocar os interesses do outro no centro das suas atenções. Amar, portanto, é um bem, um ativo patrimonial na contabilidade dos relacionamentos, um bem que se valoriza por meio de atos amorosos.

As pessoas que amam de verdade subordinam os sentimentos aos valores e aos princípios. Somente assim o amor, sentimento, poderá ser recapturado.

E como começamos com poesia, terminemos idem. Mas desta vez, para nos ajudar a refletir sobre o significado do amor em nossa vida, os versos do poeta pernambucano João Luís Martins:

 

Acende uma luz na cabana da clareira

E sai a mulher com o brocado de flores,

Ainda em molhadas contas

Cantarolando canções do campo e  desejando

Que seu homem fizesse um trabalho bom.

 

Não queria o ótimo

Queria tudo o que fosse simples

E para repartir o pão-da-mesa bastavam

Os olhos cheios de ternura um com o outro

O coração cheio de amor e a luz da vela

Brilhando as intenções de ambos

Tudo isso queria ela

E o seu desejo dava-lhe luz aos olhos,

Qual a vela, poderia ser.

 

Lá vem a mulher do brocado de amor

Flores buscadas numa manhã-de-calor

O cheiro do ar forte, como fortes são os dois

Quando se unem à noite ou à tardinha

Bem no cume da clareira.

 

E ela espera pela vinda dele

E ele espera onde está pela espera do rosto dela

Fitando as ilusões que eles criam:

O trabalho que os dois conspiram em criar

Sua casa arrumada por ele

E o jardim, bom amigo, por ele construído com amor

 

Sim, o mesmo amor de um beijo

Casal de Camponeses, por Vincent Van Gogh

Casal de Camponeses, por Vincent Van Gogh

Quando da vela não se apaga com um sopro,

Molha a mão dele na boca úmida dela

E pega na chama

E arde as emoções dos dois

Pois a luz chega ao fim de sua trajetória

Objetiva em iluminar,

Passando ao desafio objetivo em agora

Deixar, no escuro, que vivam um amor

Bem forte como o trabalho,

Cultivado como o jardim,

Querido por todos aqueles corações

Que se unem e deixam-se horas a gastar

A gostar do amor que, aos poucos, os toma aos dois.

Anúncios

O Sol entra em Libra. Início da Primavera!

O astro do dia, em seu eterno caminho ao longo do Zodíaco, adentra o signo de Libra, dando início à Primavera.

Os quatro signos cardeais, também chamados impulsivos, estão ligados às quatro estações do ano solar. Portanto, a entrada do Sol em cada um desses signos assinala o início de uma estação, estabelecendo um novo ciclo. Assim, ao entrar o Sol em Áries, inicia-se o Outono, para o Hemisfério Sul do planeta; em Câncer, inicia-se o Inverno; em Libra, a Primavera; e em Capricórnio, o Verão.

É importante, talvez, observar os ciclos da Natureza e seus significados. Durante o Outono e o Inverno, a Natureza míngua, contrai-se, aparentemente até morre, pois a folhas caem, muitos animais se entocam e tudo parece árido. Nesse momento, a semente que foi lançada à terra está se nutrindo, desenvolvendo-se, preparando-se para germinar; igualmente, os animais preparam suas futuras ninhadas. Quando chega a Primavera, todo esse potencial desabrocha, germina e a Natureza irá colorir-se das cores da alegria e da luz. As flores se abrem, as plantas se arriscam a emergir da terra em busca do calor do Sol. Chegado o Verão, essa potência desabrochada atinge a plenitude, a maturidade e é chegada, então, a hora da colheita.

Obviamente, para quem mora muito próximo à linha do Equador, as estações do ano não são assim tão bem delineadas. É mais comum que se pense em duas estações: uma chuvosa e outra seca. Entretanto, qualquer um de nós poderá observar toda essa ciclologia, simplesmente prestando atenção aos nossos próprios ciclos internos, pois cada um de nós passa, já que o macrocosmos (o Universo) e o microcosmos (o Homem) são reflexo um do outro, por essas mesmas quatro etapas, em cada fase, idéia ou projeto que empreender.

A entrada do Sol em Libra, sétimo signo do Zodíaco, do ritmo cardinal e do elemento ar, marca o início da Primavera, ou seja o Equinócio de Primavera para o Hemisfério Sul, momento cosmicamente convidativo para o desabrochar de nossos projetos, de nossas idéias e de tudo aquilo que pretendemos transformar em realidade. Toda essa fase poderá estar permeada de uma serenidade e uma significativa fantasia que permitirá estabelecer nossos objetivos com equilíbrio e vivenciar a paz e a alegria de viver.

Aproveite, portanto, o momento, lembrando-se de que o desabrochar de sua beleza interna, seus potenciais e sua alegria só tem sentido se for para fora, para o mundo, pois com Libra se inicia o ciclo dos signos voltados para o social, para o que está além do eu individual, ciclo que vai até Peixes. Afinal, não se fala em desabrochar para dentro, não é mesmo?

Aproveitamos para desejar a todos os nossos amigos e leitores uma Feliz Primavera!

Marte, Lua, Mercúrio e Plutão formam a Configuração da Pipa

Quatro astros formam um raríssimo desenho losangular, conhecido como  configuração da pipa, uma vez que, pelo seu formato, parece com uma pipa ou papagaio. Seu significado: superação de obstáculos.

 Neste dia 5 de Setembro, uma belíssima tanto quanto rara configuração celeste se formatará: Marte, Lua, Mercúrio o e Plutão se posicionam de tal forma que desenham um lindo losango. Esse raro fenômeno astrológico é chamado, pelo seu formato, de configuração da pipa.

A pipa é formada por dois triângulos azuis que têm um lado em comum. E uma linha vermelha que atravessa ambos. De um modo geral, o significado atribuído a uma pipa é de alavancagem, a linha vermelha, tensionante, funcionando como elemento disparador, enquanto os triângulos, representativos de talentos ou facilidades, potencializando mudanças, progressos ou avanços.

No presente caso, a Lua se opõe a Marte, enquanto Mercúrio e Plutão completam os triângulos. Três desses astros estão nos signos de Terra (Lua, Mercúrio e Plutão), enquanto Marte está no signo de Escorpião.

O que podemos extrair dessa rica configuração?

A oposição pode indicar um conflito entre o conforto que gera inércia e os desejos de mudança: nem sempre conseguimos contemporizar aquilo que desejamos com aquilo que estamos dispostos a pagar o preço para realizar.

E o que é pior: podemos criar estratégias compensatórias que, inconscientemente, acobertam o conflito, em vez de buscar maneiras de resolvê-lo satisfatoriamente. É o caso, por exemplo, daquela dona de casa que deseja se lançar novamente ao mercado de trabalho, mas que, em vez de se preparar tecnicamente e criar as possibilidades, fica se justificando na possível perda de qualidade do casamento para não realizar a idéia. Ou daquela pessoa que sabe que precisa terminar um relacionamento, mas que “vai ficando”, por que já está acostumada e um novo relacionamento é sempre algo arriscado.

Em suma, os verdadeiros conflitos são ocultados por uma capa de suavidade ou benevolência, criando uma zona de conforto da qual pode ser difícil querer sair.

E assim o tempo passa e, quando o conflito realmente estourar, não saberemos lidar com ele de forma satisfatória, pois nunca antes o havíamos reconhecido e enfrentado.

A formação desta configuração nos céus deste Setembro, indica a possibilidade de tomarmos conhecimento desses conflitos e materializá-los, tornando-os reconhecíveis e, conseqüentemente, resolvíveis, pois a energia cruzada da pipa indica força para superar obstáculos. E toda uma gama de potenciais adormecidos são expostos e tornados conscientes.

Um magnífico momento para aceitarmos os desafios que a vida nos impõe. Na verdade, não reconhecer e não aceitar os desafios que nos estão destinados é que nos faz perder oportunidades e estancar o fluxo de potencialidades e prosperidade a que temos direito, desde que nascemos.

Deepak Chopra

Deepak Chopra

Como diz Deepak Chopra, em seu livro “As Sete Leis Espirituais do Sucesso”, cada um de nós tem um dom, um potencial único, ímpar, um talento singular que, descoberto e praticado, nos coloca em sintonia com o que ele chama de fluxo universal de abundância. A configuração da pipa nos diz que estaremos diante de possibilidades de ver bem de perto esse potencial, conhecê-lo e reconhecê-lo e passar a utilizá-lo de forma prática e coerente.

Fique atento, porém: às vezes, somos tão teimosos em não reconhecer esse potencial, que o cosmos pode se encarregar de colocar-nos diante de desafios que nos obriguem a buscar forças internas de que nem sequer desconfiamos.

Portanto, durante essa semana, não fuja dos desafios. Ao contrário, aceite-os e reconheça-os como oportunidades de lançar-se na direção do que você quer, embora talvez não saiba (ainda) que quer.

Se você já tem o seu mapa astrológico, observe atentamente em que casas do mapa estão os pontos do losango, assim como a “cabeça da pipa” (Marte, aos oito graus do signo de Escorpião), e assim você poderá ter uma idéia acerca de quais áreas da sua vida poderão ser mais notadamente afetadas pelo fenômeno.

Woody Allen

Woody Allen

Ah, e por favor, SAIA DESSA ZONA DE CONFORTO!!!

Uma dica cinematográfica: Simplesmente Alice (Alice, USA, 1990), uma deliciosa comédia de Woody Allen, onde você vai aprender como os potenciais adormecidos brotam para redirecionar uma vida, quando estamos dispostos a sair da abençoada zona de conforto.