Arquivo mensal: setembro 2013

Mercúrio entra em Escorpião

Em seu contínuo caminhar pelo Zodíaco, o planeta Mercúrio adentra o signo de Escorpião,
iniciando um ciclo de mergulho no mistério das coisas.

Monja Reiko 2Por anos e anos, a monja Reiko estudou, sem conseguir chegar à Iluminação. Uma noite, estava ela a carregar um velho pote cheio de água. Enquanto caminhava, ia observando a imagem da lua cheia refletida na água do pote. De repente, as tiras de bambu que seguravam o pote inteiro partiram-se e o pote despedaçou-se. A água escorreu e o reflexo da lua desapareceu… e Reiko iluminou-se.

Ela escreveu estes versos:

De um modo ou de outro, tentei segurar o pote inteiro

Esperando que o frágil bambu nunca se partisse.

De repente, o fundo caiu. Não havia mais água.

Nem mais lua na água. Apenas o vazio em minhas mãos.

E seu significado em minha alma.  

A história zen acima, adaptada do livro “Nem água, nem Lua”, de B.S. Rajneesh, o Osho, ilustra lindamente o significado da passagem de Mercúrio em Escorpião. Cada um de nós carrega, por assim dizer, um pote de água, que reflete a luz da lua. Esse pote é a nossa mente, repleta de pensamentos que tentam a tudo controlar. No entanto, sabemos que há dimensões em nossa vida que não poderemos abarcar com a razão ou o pensamento. A essa dimensão chamamos de mistério, ou seja, algo que não pode ser enquadrado racionalmente e que, antes de ser compreendido ou formulado, deve ser vivenciado e experienciado. Não me refiro a conceitos metafísicos ou transcendentais, mas a coisas que fazem parte da nossa vida cotidiana: o amor, a fé, a paixão, a alegria.

Se tentarmos explicá-los racionalmente, jamais chegaremos a um resultado totalmente satisfatório, pois sempre haverá Signo de Escorpiãopartes desses conceitos que não podem ser alcançadas pela mente. Se nos propusermos, por outro lado, a vivenciá-los em toda a sua intensidade, poderemos sentir o sopro de Deus em nossas ações.

Portanto, desista de compreender e controlar tudo o que acontece ao seu redor, permitindo-se, porém, viver seus significados. Só assim, do mesmo jeito que Reiko só encontrou o que buscava ao ver dissolvida a realidade, bem à sua frente, você poderá assimilar o doce mistério da vida e preparar-se para vôos mais altos.

E, após todo esse simbolismo, uma dica bem prática: durante a estada de Mercúrio em Escorpião, que se estenderá até o início de Dezembro, atente para as mensagens interpessoais que podem estar sendo passadas silenciosamente. Uma verdadeira batalha e conflitos de poder podem ser travados sem que uma única palavra seja proferida e sem que os participantes tenham consciência disso. Cuidado, portanto, com o que você mesmo pode estar comunicando nos níveis não-verbais.

E lembre-se: Mercúrio em Escorpião nos diz que há segredos que devem ser desvelados; outros, porém, nasceram para serem ocultados.

Portanto, antes de botar a boca no trombone, lembre-se do que nos diz o Zohar, livro sagrado da Tradição Judaica: o mundo subsiste pelo segredo.

Anúncios

O Sol entra em Libra. Início da Primavera!

O astro do dia, em seu eterno caminho ao longo do Zodíaco, adentra o signo de Libra, dando início à Primavera.

Os quatro signos cardeais, também chamados impulsivos, estão ligados às quatro estações do ano solar. Portanto, a entrada do Sol em cada um desses signos assinala o início de uma estação, estabelecendo um novo ciclo. Assim, ao entrar o Sol em Áries, inicia-se o Outono, para o Hemisfério Sul do planeta; em Câncer, inicia-se o Inverno; em Libra, a Primavera; e em Capricórnio, o Verão.

É importante, talvez, observar os ciclos da Natureza e seus significados. Durante o Outono e o Inverno, a Natureza míngua, contrai-se, aparentemente até morre, pois a folhas caem, muitos animais se entocam e tudo parece árido. Nesse momento, a semente que foi lançada à terra está se nutrindo, desenvolvendo-se, preparando-se para germinar; igualmente, os animais preparam suas futuras ninhadas. Quando chega a Primavera, todo esse potencial desabrocha, germina e a Natureza irá colorir-se das cores da alegria e da luz. As flores se abrem, as plantas se arriscam a emergir da terra em busca do calor do Sol. Chegado o Verão, essa potência desabrochada atinge a plenitude, a maturidade e é chegada, então, a hora da colheita.

Obviamente, para quem mora muito próximo à linha do Equador, as estações do ano não são assim tão bem delineadas. É mais comum que se pense em duas estações: uma chuvosa e outra seca. Entretanto, qualquer um de nós poderá observar toda essa ciclologia, simplesmente prestando atenção aos nossos próprios ciclos internos, pois cada um de nós passa, já que o macrocosmos (o Universo) e o microcosmos (o Homem) são reflexo um do outro, por essas mesmas quatro etapas, em cada fase, idéia ou projeto que empreender.

A entrada do Sol em Libra, sétimo signo do Zodíaco, do ritmo cardinal e do elemento ar, acontece neste dia 22 de Setembro, precisamente às 17h45, hora de Brasília e marca o início da Primavera, ou seja o Equinócio de Primavera para o Hemisfério Sul, momento cosmicamente convidativo para o desabrochar de nossos projetos, de nossas idéias e de tudo aquilo que pretendemos transformar em realidade. Toda essa fase poderá estar permeada de uma serenidade e uma significativa fantasia que permitirá estabelecer nossos objetivos com equilíbrio e vivenciar a paz e a alegria de viver.

Aproveite, portanto, o momento, lembrando-se de que o desabrochar de sua beleza interna, seus potenciais e sua alegria só tem sentido se for para fora, para o mundo, pois com Libra se inicia o ciclo dos signos voltados para o social, para o que está além do eu individual, ciclo que vai até Peixes. Afinal, não se fala em desabrochar para dentro, não é mesmo?

Aproveitamos para desejar a todos os nossos amigos e leitores uma Feliz Primavera!

Luz Zodiacal: Espetáculo Exclusivo Para os Amantes do Céu

Para aqueles que sabem para onde dirigir o olhar, o Céu reserva inúmeras surpresas e incomparáveis espetáculos. Estrelas cadentes, constelações que se desenham em formas as mais belas e surpreendentes, eclipses e ocultações, cometas…

O exercício de observar o Céu e suas maravilhas nos preenche de um sentimento de comunhão e uma infinitude que não encontraremos em qualquer outra atividade.

Pois bem, um dos belos espetáculos que o Céu nos oferece é a Luz Zodiacal.

Trata-se de fenômeno óptico causado por uma finíssima poeira interplanetária,

Luz Zodiacal Fonte: www.astrophoto.com

Luz Zodiacal Fonte: http://www.astrophoto.com

refletindo a luz do Sol. Essa poeira é formada por detritos de cometas e pequenos meteoros, provavelmente originários da própria formação do Sistema Solar.

Nos dias próximos aos Equinócios, podemos observar esse belo fenômeno, que se manifesta como um cone de luz, com uma base na linha do horizonte leste, pouco antes do amanhecer (no Equinócio de Março) ou do horizonte oeste, pouco depois do anoitecer (no Equinócio de Setembro).

Até o final deste mês de Setembrol, poderemos observar a Luz Zodiacal.

É fácil!

Olhe para o oeste, ou seja, para o poente, pouco antes do amanhecer. Você deverá ver o lindo cone luminoso da Luz Zodiacal.

Você precisará estar em um lugar sem poluição luminosa, ou seja, longe das luzes das cidades. E certifique-se de que o horizonte leste não esteja contaminado por luzes de cidades distantes.

Se você tiver o privilégio de estar em um lugar afastado das luzes urbanas, até o dia 30 de Setembro, olhe para o poente, logo após o anoitecer. E banhe sua alma e seu coração com a luz que vem do Céu.

E lembre-se: somos feitos do mesmo material de que são feitas as estrelas, dessa mesma poeira brilhante que irradia beleza e transcendência.

Mercúrio em quadratura com Plutão

Neste dia 14 de Setembro de 2013, com este tenso aspecto entre Plutão, o Senhor das Sombras, e
Mercúrio, Senhor de Todos
os Caminhos, o Cosmos nos convida a uma reflexão
sobre os
nossos mergulhos interiores.

Entre as muitas lições que nos são dadas por meio das imortais páginas da Mitologia universal, um raro tesouro se destaca: as narrativas das lutas e gestas dos heróis. Assim, ao longo dos séculos, a nossa imaginação vem sendo abastecida e alimentada com mitos que contam as façanhas de grandes personagens heróicos, como Perseu, Teseu, Hércules, Sigfried, Gilgamesh e muitos outros.

Jung

Jung

Sabemos da relação direta entre a mitologia dos heróis e a nossa própria história: a aventura do herói em busca de seus prêmios é o retrato da busca humana pelo crescimento emocional, desenvolvimento espiritual e felicidade. Carl Jung, o criador da psicologia do inconsciente coletivo, chegou a atestar que a história do herói se confunde com o processo humano de individuação.

É fácil, até, compreender as causas disso: o herói é sempre filho de um deus e uma mortal (ou vice-versa), o que traduz a dicotomia entre o seu lado divino e seu lado humano. É ou não é um fiel retrato simbólico dos dilemas humanos, crucificado que está o homem entre a verticalidade de suas buscas transcendentais e a horizontalidade de sua condição terrena?

Eis aí porque a mitologia dos heróis, dentre todas as formas de narrativa mitológica, tanto nos fascina. Mais próximos de nós do que os intocáveis deuses, os heróis representam a nossa maior possibilidade de redenção.

É um ponto comum na Mitologia heróica universal que, em algum momento de suas aventuras, o herói é obrigado a realizar um mergulho no inferno ou em uma região de trevas ou numa caverna profunda ou até mesmo a barriga de um gigantesco peixe ou qualquer coisa parecida. Essa é a kathábasys, o mergulho no infra, o que simboliza o mergulho no inconsciente, a fim de enfrentar os próprios demônios interiores. Somente após passar por essa etapa, o herói estará pronto para atingir os seus objetivos e alcançar a glória.

Hercules enfrenta Cérbero

Hercules enfrenta Cérbero

Quando Hércules, o maior de todos os heróis míticos, teve que mergulhar no Hades (os infernos, segundo a mitologia grega), o reino do deus Plutão, para capturar o temível Cérbero, o monstruoso cão tricéfalo, foi acompanhado pela deusa Palas Athena, deusa da sabedoria e da justiça e pelo deus Mercúrio, aquele que conhece todos os caminhos.

Assim tão bem acompanhado, até eu realizo façanhas!

A quadratura entre Mercúrio e Plutão é um indicativo da necessidade de mais um mergulho interior, para iluminar os nossos inferninhos emocionais. Aproveite esse momento para fazer o seu mergulho. Além de conhecer melhor a si próprio, você terá a chance de dominar, em si mesmo, forças nem sempre fáceis de conhecer e

Plutão

Plutão

compreender.

Se as sombras em nossos corações e mentes se tornam grandes demais, tornamo-nos vulneráveis às forças do infra, ou seja, às monstruosidades internas que nós mesmos geramos e alimentamos. É preciso, portanto, expulsar os piores demônios que temos que enfrentar: os ranços, as mágoas e os temores de dentro de nós. Manter o coração e a mente limpos, agir com justeza, perdoar sempre, eis a melhor profilaxia para tais males.

Mercúrio

Nunca é demais lembrar que o planeta Mercúrio é aquele que rege, simbolicamente, a Alquimia. E para transformar o chumbo de nossa alma impregnada de ranços no ouro de uma espiritualidade elevada e nobre, precisamos realizar a kathábasys, ou seja, mergulhar para transformar.

Durante esta semana, a quadratura entre Mercúrio e Plutão irá mostrar o caminho. Talvez nem sempre de maneira fácil. Talvez você se veja diante de situações, pessoas ou fatos que façam aflorar à superfície muito do que sempre se manteve oculto em você, padrões emocionais e comportamentais muito antigos. E a boa notícia é que esse afloramento pode propiciar descobertas e transformações profundas e significativas.

Fique atento.

A propósito: durante essa semana, cuidado com o que você disser. A palavra terá um indizível poder de impacto e transformação. Tanto a palavra dita internamente, em seus diálogos internos, quanto aquela dita interpessoalmente. Use-a com sabedoria.

O Rei Leão, Studios Disney

Dica cinematográfica: “O Rei Leão”, magnífico desenho animado dos Studios Disney, onde você vai aprender como as sombras do passado podem destruir o seu futuro, quando não conhecidas e dominadas.

Vênus entra em Escorpião

A entrada do planeta Vênus no signo de Escorpião nos convoca a uma reflexão acerca dos aspectos não visíveis do Amor.

Em seu contínuo caminhar pela “roda dos animais” ( zoo = “animal” + diakos = “roda” ), o Zodíaco, o planeta Vênus adentra o signo de Escorpião, nesta quarta-feira, dia 11 de Setembro de 2013, dando início a um ciclo de resgate dos mistérios do Amor.

VenusSímbolo da beleza, do sentimento de afetividade e do Amor, em todas as suas formas, o planeta Vênus está relacionado à deusa grega Afrodite, senhora dos amores, dos risos e das graças. Ao penetrar Escorpião, signo representativo do Mistério, da transformação e da regeneração, Vênus nos convoca a uma importante reflexão: a de que o Amor, amálgama do Universo, força “que move o Sol e as demais estrelas”, não pode ser compreendido, mensurado ou explicado racionalmente. Ele deve, isso sim, ser vivenciado, sentido, experienciado, pois é um Mistério.

Que o Amor transforma as pessoas, que tem um enorme poder de superação e regeneração, isso nós sabemos. O gancho é o “como”. Pois, assim como Moisés, ao fazer o pacto com o Senhor, não pôde ver a Sua face; assim como, nas páginas da Mitologia Grega, Psiqué não poderia ver o rosto de seu esposo, Eros; assim também existem segredos e mistérios no Universo que jamais poderão ser avaliados, analisados, compreendidos, mas sim vivenciados pela alma. Que não diga, então, aquele que ama: “Deus está no meu coração !” Mas que diga, antes, : “Eu estou no coração de Deus!”

Eis o Mistério!!!

E vem a ciência moderna, com a sua conhecida empáfia racionalista, desenvolver mil e uma teorias psíquicas, comportamentais e até (pasmem!) genéticas para explicar o Amor, como se sobre este pudéssemos colocar uma fita métrica ou um termômetro ou algo que o valha.

Impossible !

Pois não se pode enquadrar o Infinito ou apreender o Inefável. Portanto você pode (e deve) compreender a sua relação com a pessoa amada; mas nem sempre, ou quase nunca, poderá explicar o seu sentimento. A entrada de Vênus em Escorpião é um chamado do Cosmos para que se vivencie o Amor com mais paixão, mais mistério e mais emoção.

É interessante observar que, poucos dias após a sua entrada em Escorpião, Vênus faz quadratura com Saturno e quadraturaScorpius com Marte, indicando a possibilidade de conflitos entre o afeto e o sentimento de restrição. Esteja atento para perceber que, da mesma forma que “o amor não pode subsistir sem confiança”, também não pode servir de grilhão, de prisão.  Se o sentimento não liberta e, ao contrário, escraviza, tolhendo os potenciais, passa a ser prejudicial.

Por outro lado, lembre-se: na busca desordenada pela suposta liberdade, podemos não perceber o verdadeiro significado dos nossos sentimentos ou, pior ainda, podemos não perceber que a ânsia excessiva por essa tal liberdade já é, em si, uma escravidão.

Portanto, não se apresse tanto em “libertar-se” de seus sentimentos; procure perceber, antes, o significado mais amplo deles, em todos os níveis, e, sendo o caso, proceder aos necessários ajustes.

E lembre-se do que disse Roque Schneider: “passei a amar a vida e ela deixou de ser um mistério para mim”.

Dica Cinematográfica

Eternal SunshineO filme Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças (Eternal Sunshine of the Spotless Mind, USA, 2004), estrelado por Jim Carrey e Kate Winslet), onde você descobrirá que os mecanismos do amor estão muito além do alcance da ciência e sua vã racionalidade. E que, nas relações, a total semelhança dos pares nem sempre é a melhor fórmula.