Marte em conjunção com Júpiter

Nesse dia 06 de Janeiro, encontram-se Marte e Júpiter aos dezoito graus de Escorpião,
inaugurando um ciclo de força e energia de realização.

Do ponto de vista mitológico grego, Marte representa um verdadeiro estranho no ninho: completamente diferente, em suas características, dos demais deuses do Olimpo, que representavam grandes modelos de harmonia e perfeição, Marte (Ares, em grego) era o deus da guerra bruta, da selvageria e da pancadaria. Seu único prazer eram as guerras e lutas e ele não perdia chance de fazer jorrar sangue, não se importando com a justiça ou injustiça da luta.

Os gregos o retratavam sempre acompanhado de um séquito temível: eram seus escudeiros Phobos e Deimos, seus filhos, representando o Pavor e o Medo; era acompanhado de Éris (a Discórdia) e por um bando de divindades guerreiras sempre sedentas de sangue, chamadas Queres.

Já em Roma, Marte foi cultuado como um dos maiores e mais importantes deuses. Diferentemente dos gregos, os romanos o retratavam sempre acompanhado de dois escudeiros chamados Honor (a Honra) e Virtus (a Força). Era considerado uma divindade heróica e nobre e era um dos patronos da cidade e do Império.

Essa diferença de significação é bem representativa do que pode acontecer com o Planeta Marte, dentro de nós: a depender da escolha que fizermos, o nosso Marte interior nos conduzirá no caminho da valorosa virtude que nos fará heroicos e combativos defensores da justiça. Ou nos tornará violentos e agressivos brutamontes…

Em sua essência, Marte está associado, astrologicamente, ao conceito de força. Representa o nosso lado guerreiro, aquele que vai à luta, marchando a passos largos para nos conduzir ao nosso objetivo.

Quando nos lançamos em direção de algo que desejamos, é Marte dentro de nós que nos propicia isso. Quando, revoltados diante de algo, erguemos a clava forte da Justiça, na defesa de alguém, é Marte dentro de nós que nos faz despertar o herói interior.

Mitologicamente, o planeta Júpiter, por sua vez, está associado ao mito de Zeus, o pai de todos os deuses e de todos os homens, o mais poderoso dos imortais, senhor absoluto do Olimpo, do Céu e da Terra. Era onipotente. Tinha como armas o raio, o relâmpago e o trovão. Um único movimento de sua cabeça sacudia todo o Universo.

Astrologicamente representa a fortuna e sabedoria. Traduz expansão e sorte. Amplifica tudo o que toca.

O encontro desses dois planetas, no signo de Escorpião, traduz um importante recado do Cosmos: a somatória da força marcial com a sabedoria jupiteriana pode nos conduzir a qualquer lugar que desejarmos, desde que estejamos dispostos a pagar o preço do sucesso e que tenhamos a iniciativa da ação. A nossa força será multiplicada! A nossa capacidade de ação, também!

Um excelente momento, portanto, para estabelecer uma estratégia, um plano de ação, com objetivos claramente definidos.

Trace metas a curto, médio e longo prazo; estabeleça metas intermediárias; e aja, ponha o seu plano em ação! Isso será inteligente e produtivo e irá motivá-lo a ir sempre em busca do que você quer.

Falando em motivar, é importante que você perceba, ao estabelecer as suas estratégias, qual a direção habitual de sua motivação. Existem pessoas que se motivam para buscar alguma coisa, para aproximar-se de um objetivo (em Programação Neurolingüística, chamamos a esse padrão de motivação de meta-programa de motivação por aproximação). Já outras motivam-se para afastar-se de algo, para fugir de algo desagradável (meta-programa de motivação por afastamento). Por exemplo, às pessoas que se motivam por aproximação, pode ser útil pensar nos resultados positivos que o empreendimento irá trazer, os prêmios e benefícios que podem advir de uma ação. Já às pessoas que se motivam por afastamento, pode ser útil reconhecer os problemas que serão evitados com a ação.

Você pôde perceber a diferença?

As pessoas que obedecem ao meta-programa de motivação por aproximação visam aproximar-se de algo agradável ou valioso.

As pessoas que obedecem ao meta-programa de motivação por afastamento visam afastar-se de algo desagradável ou penoso.

Ambos meta-programas são úteis e ajudam a atingir os objetivos a que as pessoas se propõem. No entanto, parece claro que as pessoas que se motivam por aproximação terão mais chances de se sentirem motivadas e, consequentemente, mais possibilidades de atingir as suas metas.

Descubra o seu meta-programa, observe a direção de sua atenção e, ao estabelecer as suas estratégias de ação, obedeça a essa direção. Se for o caso, mude o seu meta-programa, experimente outra forma de se motivar, até que você encontre aquela que lhe for mais útil. Com certeza, o triunfo pessoal será mais fácil e rápido, porque você foi capaz de transformar, com isso, as suas energias guerreiras em um magnífico potencial combativo.

Análise Cíclica

Independentemente da qualidade própria desse momento, sinalizada pela conjunção Marte-Júpiter, do ponto de vista ciclológico cabe também uma observação.

Como já comentamos em outros artigos, nesta coluna, o ciclo sinódico entre dois planetas se dá da seguinte maneira: na conjunção (quando os dois astros se encontram no mesmo grau do Zodíaco), inicia-se um ciclo, novas sementes são lançadas, algo novo começa. O astro mais rápido continua avançando e, na oposição (quando os astros estão a 180º), esse ciclo atinge o seu máximo. Nesse ponto, as sementes lançadas no momento da conjunção frutificam (para bem ou para mal) e rendem resultados. Mas, entre a conjunção e a oposição e vice-versa existem dois momentos em que os astros se colocam em quadratura (a 90º um do outro). Os pontos de quadratura representam momentos de crise, de oportunidade. A quadratura crescente (entre a conjunção e a oposição) está relacionada a crescimento. Às vezes, nesta fase, faz-se necessário um ajuste ou reordenamento de metas, para que os projetos ou vivências iniciadas na conjunção continuem ou até mesmo se extingam de vez. Já a quadratura minguante (entre a oposição e a conjunção) está relacionada a uma crise que solicita novos ajustes, porém com vistas ao encerramento do processo.

E, na nova conjunção, o ciclo é definitivamente encerrado e um novo se inicia.

Alguns desses ciclos duram um mês, como é o caso dos ciclos envolvendo a Lua. Outros duram vinte anos, como é o caso do ciclo Júpiter-Saturno. E outros ainda duram aproximadamente dois anos ou dois anos e meio como é o caso deste ciclo Marte-Júpiter.

Quando observamos esse tipo de ciclo, percebemos que o tempo e seu desenrolar em nossa vida fica impregnado de significados. E vivemos em meio a uma infinidade desses ciclos, que se mesclam e se interpenetram entre si. O ciclo entre Marte e saturno é um dos mais importantes para nós, pois associa esses dois elementos de vital significação emocional e prática.

A vez mais recente em que Marte e Júpiter fizeram uma conjunção foi em Outubro de 2015. Avalie com cuidado: que sementes você lançou, nos entornos desse momento? Que projetos ou vivências você iniciou aí?

Marte e Júpiter fizeram uma quadratura crescente em Abril a Outubro de 2016. Pergunte-se: que tipo de crise de ajustamento seu projeto ou vivência passou, durante esse momento?

A oposição Marte-Júpiter ocorreu em Fevereiro e Março de 2017. Aí aconteceu o apogeu do ciclo. Que frutos você colheu?

A quadratura minguante entre Marte e Júpiter ocorreu em Junho e Julho de 2017. Eis aí o momento da crise final, o princípio do fim do ciclo.

E a conjunção ocorre agora, em Dezembro de 2017 e Janeiro de 2018, embora o ponto exato aconteça no dia 06 de Janeiro de 2018, o que encerra o ciclo iniciado em Outubro de 2015 e começa outro, que deverá desenrolar-se da seguinte maneira:

Quadratura Crescente: Julho a Novembro de 2018;

Oposição: Maio de 2019;

Quadratura Minguante: Setembro de 2019;

Nova conjunção: Março de 2020.

Fique atento. E aproveite para usar os momentos cíclicos a seu favor, em vez de nadar contra a correnteza cósmica.

A propósito: a conjunção Marte-Júpiter ocorre aos dezoito graus de Escorpião. Se você já tem o seu mapa astrológico, observe em que casa astrológica ocorrerá esse fenômeno e você terá uma ideia de que área da vida poderá ser mais ativada pela força conjugada esses dois astros.

Anúncios

Sobre Haroldo Barros

Sou profissional da Astrologia e outras práticas da evolução humana há vinte e cinco anos. A minha contribuição para a ordem cósmica consiste em ajudar as pessoas encontrarem os caminhos e os meios de cultivar a própria felicidade.

Publicado em 08/01/2018, em Posts Astrais. Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Como sempre, claro, objetivo e competente. Uma aula para quem entende a Astrologia como decodificadora da existência humana.

  2. Regina Fischer

    Este texto foi riquíssimo de informações e conexões com a minha realidade! Muitíssimo grata, mestre! Estarei bastante atenta a este novo ciclo que está se iniciando e estou aprimorando os meus projetos para segui-lo na “crista da onda”. Aproveitando ao máximo os ajustes necessários e o momento de colher os resultados que espero sejam todos positivos, conforme é a minha intenção!

    Um abraço,

    Regina

    ⁣Enviado por TypeApp ​

Faça seu comentário, pergunta ou sugestão!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: