Arquivo mensal: junho 2018

O Sol entra em Câncer – Solstício de Inverno

Em sua trajetória zodiacal, o luminoso astro do dia adentra o signo de Câncer, dando início a um ciclo de recolhimento e introspecção, de resgate da memória.

A entrada do Sol em Câncer, neste dia 21 de Junho, às 07h07, estabelece o Solstício de Inverno para o Hemisfério Sul, marco inicial da estação invernal, que se estenderá até o Equinócio de Primavera, que ocorrerá em 22 de Setembro, com a entrada do Sol em Libra.

Primeiro signo do elemento água, segundo signo cardinal, Câncer está associado ao ponto cardeal norte, simbolicamente vinculado ao útero e à caverna, ambientes de transmutação alquímica. Em hebraico, a palavra “saphon”, que significa “norte”, possui também a acepção de “oculto”, “nebuloso” e Câncer está também associado à meia-noite, onde há ausência total de luz.

Mitologicamente, esse signo está associado à aventura do herói Hércules, quando teve de enfrentar a Hidra de Lerna, peçonhento monstro de nove cabeças que, se cortadas, faziam brotar duas em lugar de cada uma. Assim são as nossas emoções: se não forem bem resolvidas, sempre voltam com intensidade dobrada! A enorme serpente possuía ainda um hálito mortal que empestava o ambiente, envenenando homens e animais. Ajudado por seu sobrinho Iolau, o herói consegue destruir a fera, em uma batalha cheia de peripécias. Em meio à luta, antevendo a vitória do herói, a cruel Hera, esposa de Júpiter, faz surgir um enorme caranguejo, que aplica violenta pinçada no tornozelo de Hércules.

Apesar da dor, o herói destrói o bicho com uma impiedosa pisada, quebrando-o em mil pedaços. Reconstituído, o caranguejo é colocado no céu por Hera, na constelação de Câncer (Caranguejo). Também a monstruosa Hidra se transforma numa constelação.

A entrada do Sol em Câncer é um convite a um recolhimento, que nos faz olhar para o passado e, através do quebra-cabeças da Memória, reconstituir o conhecimento. Há uma “mordida” que nos desperta, justamente do caranguejo: é a memória, que nos ajuda a resgatar a Sabedoria Primordial.

Durante a estada do Sol no signo de Câncer, somos convidados a uma maior interiorização, como o caranguejo, que sempre vive recolhido à sua carapaça.

Aproveite a fase para recolher-se um pouco, mergulhar em seu útero, para, vencendo as emoções inferiores, transmutar-se num ser cada vez melhor, mais útil ao próximo, mais em comunhão com o Cosmos.

Hércules vivido nas telas por Steeve Reeves

Hércules vivido nas telas por Steeve Reeves

Um detalhe.

Hércules tinha a obrigação de cumprir dez trabalhos e não doze. Acabaram sendo doze no total pelo fato de que dois deles foram anulados, o que obrigou o herói a compensá-los. E um dos que foram anulados foi exatamente esse, da Hidra de Lerna.

E sabe por qual motivo?

Ao perceber que as cabeças da Hidra se duplicavam, quando eram cortadas, Hércules teve a idéia de cauterizar as feridas. E assim fez, usando um enorme tronco em brasa. Acontece que, para isso, contou com a ajuda de seu sobrinho Iolau, o que invalidou o trabalho.

Assim também com nossas emoções: essa é uma fera que você tem que encarar sozinho. Um bom amigo ou mesmo um terapeuta até podem ajudar, ouvir e se solidarizar. Mas é cada um de nós e mais ninguém o responsável por vencer esse nosso monstro interior

O nosso abraço de parabéns a todos os cancerianos, esses seres magníficos que, mais do qualquer outro, sabem viver as suas emoções.

E a todos os nosso amigos e leitores, um Feliz Inverno!!!

Anúncios

Júpiter em trígono com Netuno

 

O Trígono, ou seja, a angulação de 120 graus entre Júpiter e Netuno, permanecerá nos céus no período que vai de Maio a Outubro deste 2018. Porém, neste início de Junho, forma-se o grande trígono, ou seja, a triangulação entre Júpiter,
Netuno e Vênus, convidando-nos à Comunhão cósmica.

Nos últimos tempos a Ciência tem conseguido a façanha de nos surpreender cada vez mais, com descobertas e novidades entre inquietantes e fascinantes.

GaláxiaPor exemplo, observações astronômicas realizadas ao longo dos últimos vinte anos aumentaram o número de galáxias conhecidas no Universo, que constava ser  de “apenas” dez milhões e passou a cem milhões. A existência de planetas fora do sistema solar foi outra bombástica novidade trazida ao conhecimento do homem comum.

Interessante será analisar o efeito que tais informações trazem sobre a mente e a alma humana. O homem, nada mais do que um misérrimo verme, habitando um planetinha que é pouco menor que um grão de areia  que circula ao redor de uma estrelinha de quinta grandeza, situada, por sua vez, num dos braços periféricos da galáxia, ao defrontar-se com tais informações, sente-se ainda menor e mais esmagado pela inapreensível grandiosidade do Cosmos.

Na verdade, essas informações servem para nos avisar que o Universo traz maravilhas das quais nem sequer desconfiamos; e o gênero humano, que em sua empáfia racionalista de reformador do mundo acha que pode dissecar e explicar tudo o que vê, queda-se estarrecido e humilhado diante dos mistérios que não compreende.

Porém, devemos perceber que cada uma dessas maravilhas do Cosmos subsiste, na mesma proporção e grandiosidade, no interior de cada ser humano.

“Conhece-te a ti mesmo, homem, e conhecerás o Universo e os deuses”, foi a lição maior do grande Sócrates. Conhecer

Sócrates

Sócrates

as maravilhas do Universo equivale, portanto, a conhecer as maravilhas de seu próprio interior e assim a busca incessante do Eterno estará, ao menos, encaminhada.

O homem não é eterno, nem mesmo quando o seu trabalho permanece, como dizia um famoso slogan; mas pode tornar-se eterno, quando comunga com esse Eterno e O coloca em seu cotidiano, trazendo as significações celestes para o aqui e o agora.

Neste Junho de 2018, uma belíssima configuração celeste nos convida para essa comunhão com o Eterno. Os planetas Júpiter, Vênus e Netuno, em especialíssima posição, indicam a ocorrência de uma intensa emanação de conteúdos simbólicos, fazendo derramar sobre a Terra uma fértil chuva de significados e a Humanidade deverá estar alerta para essa integração com o planeta e com o Cosmos .

O trígono entre Júpiter e Netuno se estende até meados de Agosto. Mas neste momento, a doce Vênus se junta ao processo, estabelecendo a grande triangulação, que ocorre exatamente nos três signos do elemento água, ativando de forma muito especial a nossa sensibilidade e compassividade.

Portanto, essa belíssima triangulação traz possibilidades de expansão e potencialização das nossas melhores esperanças.

Vênus (no signo de Câncer), representa as forças de atração e amor, enquanto Júpiter (em Escorpião) representa as forças de expansão e sabedoria. Já Netuno (em Peixes) representa os fatores de fé e espiritualidade.

Ao se posicionarem de forma tão positiva e reciprocamente estimulante, esses planetas criam as condições favoráveis para o desenvolvimento de uma cultura de paz, harmonia, espiritualidade e desenvolvimento.

É hora, portanto, para as nossas melhores ações.

Ações que visem a fazer brotar, no ser humano, aquilo que ele tem de melhor. E sobretudo, ações que possibilitem a cada um de nós resgatar a condição de olhar para o nosso semelhante e reconhecê-lo como irmão.

As sementes hoje lançadas à terra, sob os auspícios dessa brilhante configuração, renderão frutos que reverterão ao bem de todos os homens, mulheres e crianças neste nosso simpático planetinha azul.

Portanto, ao longo dos próximos tempos, pergunte-se: o que eu posso fazer para contribuir para o alvorecer de uma nova era? E procure agir de acordo. E lembre-se de que é nas pequenas coisas e não necessariamente nas grandes conquistas que Deus se faz presente.

Dica Cinematográfica

Kevin Costner e Elijah Wood em cena de A Árvore dos Sonhos

Kevin Costner e Elijah Wood em cena de A Árvore dos Sonhos

 

O filme A Árvore dos Sonhos (The War, USA, 1994), estrelado por Kevin Costner e Elijah Wood, onde você vai

aprender que as opções pela Paz são sempre possíveis, ainda que sejam, muitas vezes, o caminho mais difícil.