Arquivo mensal: outubro 2018

I Jornada Astrológica Argonautas do Infinito

Oi, Gente!
Aqui é o Haroldo!

Existem incríveis potencialidades e possibilidades para o ser humano, no conhecimento e na prática da milenar ciência dos Céus, a Astrologia.
E você, que acompanha meu trabalho, sabe do esforço que faço para tornar a linguagem astrológica mais acessível a todos, oportunizando as pessoas em seus processos de desenvolvimento pessoal e espiritual.

É dentro dessa mesma proposta e com essa mesma atitude integrativa que eu quero convidar você a se juntar a nós na

I Jornada Astrológica Argonautas do Infinito

que acontecerá de 05 a 12 de Novembro deste nosso 2018.

Trata-se de um evento 100% online e 100% gratuito, que tem por objetivo trazer à discussão temas astrológicos significativos e marcantes, ajudando você a descobrir ou mesmo redescobrir incríveis possibilidades.

Clique na imagem abaixo para se inscrever.

Será um imenso prazer ter você fazendo parte desse espaço de discussão astrológica!

E, por favor, aproveite para responder à enquete que você vai encontrar em nossa Landing Page de Confirmação, depois que confirmar a sua inscrição.
Isso já nos ajudará bastante em preparar um evento que seja produtivo e proveitoso para todos os participantes.

E, claro que se puder divulgar, nós agradecemos.

Um abraço astral bem forte!

Haroldo Barros

P.S.:

Não se preocupe se você se considera iniciante em Astrologia. Nossa Jornada será ótima para astrólogos veteranos quanto para novatos. E também para estudantes, futuros estudantes ou curiosos dessa nossa milenar ciência dos Céus.

Clique na imagem e a gente vai se encontrar lá.

Haroldo.

Anúncios

Triangulação entre Vênus, Saturno e Urano

Os planetas Vênus, Saturno e Urano se posicionam em triângulo, convidando-nos a uma reflexão acerca dos nossos relacionamentos e dos papéis que neles desempenhamos.

Conta uma bela passagem da mitologia grega que Zeus, o senhor do Olimpo, discutia com sua esposa Hera (ou Juno) sobre quem tinha mais prazer no ato sexual: o homem ou a mulher.

Zeus e Hera

Zeus e Hera

Resolveram pedir ajuda a Tirésias, o sábio.

Tirésias, que é mais conhecido por sua participação no mito de Édipo, havia testemunhado, na sua juventude, à cópula de um par de serpentes encantadas e foi agraciado, por conta disso, com a possibilidade de viver como mulher durante sete anos.

Era Tirésias, portanto, a pessoa mais indicada para dirimir a pungente questão que atormentava os soberanos dos deuses e dos homens.

Tirésias, o Sábio

Tirésias, o Sábio

Trazido à presença do real casal divino e instado a expressar o seu conhecimento, Tirésias respondeu que a mulher tem mais prazer do que o homem, no ato sexual, na proporção de dez para um.

Zeus delirou de felicidade com aquela resposta, pois essa informação criava para ele um caminho para justificar as suas muitas estrepolias amorosas: “Já que a minha mulher tem dez vezes mais prazer, eu posso ter pelo menos dez amantes!”

Irritada com a resposta, Hera impõe a Tirésias um castigo terrível: cega-o para sempre.

Para os mais desavisados, essa pode ser uma história de final triste para Tirésias. Mas, no sentido simbólico e mitológico, cegueira externa significa iluminação interior! E assim, o nosso herói Tirésias, por ter harmonizado as duas polaridades (o macho e a fêmea), alcança a suprema iluminação e conhecimento da Verdade.

Ficou conhecido como o mais sábio dentre os sábios e não havia segredo que ele não desvendasse. Graças a essa sabedoria, Tirésias pode ajudar Édipo a conhecer a verdade sobre si mesmo e sobre as terríveis verdades que se escondiam em Tebas. Essas verdades, no final da história, acabaram por levar Édipo também à cegueira, mas não a cegueira do castigo auto-impingido que pretende redimir as culpas,

como quis Freud, mas sim a cegueira da suprema iluminação.

A triangulação formada por Vênus, Saturno e Urano é um sinal do Cosmos para que busquemos cada vez mais essa harmonia entre as polaridades. Cono se precisássemos ativar o Tirésias dentro de nós, aquele que conhece ambas as faces do Ser.

Urano, no signo de Touro, confere formas diferentes à vivência do afeto, enquanto Saturno ajuda a estruturar e dar estabilidade.

 E a Vênus, no signo de Escorpião, ainda retrogradando, traz a possibilidade de regeneração de mágoas passadas e renascimento dos afetos.

Porém, a tensão representada pela oposição entre Vênus e Urano pode causar inquietações e ansiedades. É preciso saber lidar com isso, nesse momento, para não acabar lançando ao outro responsabilidades que não lhe caibam.

E a estrutura toda é ativada pela proximidade do Sol para com a Vênus e especialmente pela chegada da Lua, entrando em Touro e fazendo conjunção com Urano.

O momento exato da conjunção Lua-Urano acontece já no ápice da Lua Cheia, trazendo intensidade emocional ao momento.

Um momento que promete…

Tudo isso reforça a necessidade de maturidade nos relacionamentos e nos pede harmonização e integração, lembrando-nos que, sejamos homens ou mulheres, todos temos o macho e fêmea dentro de nós. E sobretudo nos relacionamentos afetivos e no mundo profissional, onde as polaridades se acentuam, temos que ser homens que sabem ser suaves; e mulheres que sabem lutar. Sem perder o poder de se encantar e se maravilhar diante da vida e sem perder a possibilidade de realizar os nossos sonhos e metas. E os sonhos e metas do outro diante de você.

Uma dica.

Se você vivencia, neste momento, uma relação, fique atento: a configuração triangular Vênus-Saturno-Urano pede expressão de afeto e demonstrações públicas e privadas desse afeto.

Portanto, não seja avaro de carinho, não poupe palavras gentis e gestos doces. Não permita que a dificuldade de observar as necessidades do outro venha a restringir seus sentimentos. E sobretudo espante o egoísmo que pode abalar as bases de seu afeto.

Detalhe importante.

Nesta quinta-feira, dia 25 de Outubro de 2018, a Lua nascerá em torno das 19h (Hora de Brasília). E aí por volta das 20h30, deverá estar alta o suficiente no céu para que você possa contemplar, mais abaixo dela, a estrela Aldebaran, alfa da constelação do Touro, a casa da Vênus, numa cena celeste de tirar o fôlego!

A imagem ao lado, montada graficamente em computador, dá uma ideia do que você verá.

Que tal convidar seu amado (ou amada) a visitar um local aprazível, a fim de contemplar esse magnífico espetáculo celeste?

Já desejo sucesso!

E que o amor vença sempre!!!

O Sol entra em Escorpião

Continuando seu eterno caminhar pela roda zodiacal, o astro-rei adentra o signo de Escorpião, no próximo dia 23 de Outubro, às 08h22, dando início a um ciclo de resgate do mistério e da transformação.

 

Escorpião está associado ao mito de Orion, o gigantesco caçador, filho de Netuno, que, de tão hábil, gabava-se de matar qualquer animal que na terra vivesse. A Mãe Terra (Gea ou Gaea) não se conforma em ouvir tal desaforo e envia-lhe um enorme escorpião, desafiando o caçador a matá-lo. Orion faz pouco do bicho e, com o pé, esmaga-lhe a cabeça; esquece, porém, que é na cauda que se situa o ferrão do perigoso animal; e é exatamente esse ferrão que o escorpião, apesar de ter a cabeça arrebentada, crava na perna de Orion, inoculando-lhe o seu letal veneno. O soberbo caçador morre, padecendo de terríveis dores e será catasterizado (= transformado em constelação) no agrupamento de estrelas que leva o seu nome, a pedido da deusa Diana (= a Lua).

Um detalhe interessante do mito é que também o Escorpião foi catasterizado. E os dois contendores, mesmo depois de se transformarem em constelação, continuam inimigos: quando uma das constelações nasce, nos céus, a outra se põe. E assim, o Escorpião e Órion nunca estão visíveis no firmamento, ao mesmo tempo.

Simbolicamente, o signo de Escorpião representa esse veneno, capaz de matar (= transformar, transmutar), para fazer transcender para algo que está “mais além”. No livro O Pequeno Príncipe, de Exupèry, é o veneno de uma serpente do deserto que faz o jovem principezinho viajar de volta ao seu pequeno planeta; do mesmo modo, a borboleta “mata” a lagarta, ao transformar-se de uma para outra. Assim também o feto, dentro do útero, “morre” para renascer um ser vivo independente; assim também o adulto “mata” o jovem, quando atinge a maturidade.Viver, portanto, é sinônimo de nascer, evoluir, morrer e renascer, numa interminável seqüência, consoante os ciclos cósmicos.

Compreender Escorpião é compreender o Mistério da evolução, da regeneração e da morte; é compreender a liberação das energias necessárias à transformação. E é, sobretudo, compreender o erro sobre o qual se construiu a nossa civilização: a ilusão de que o eu é a última realidade; de que o progresso contemporâneo e finito é mais importante do que os ciclos infinitos e sutis, muito mais sutis, que se mesclam com a realidade; de que podemos acender as luzes do inconsciente sem venerar o Incognoscível; e de que a realidade superficial das coisas é mais significativa do que a ordem oculta em que ela se baseia.

E lembre-se: já que o Universo e dinâmico e eternamente em estado de metamorfose, a mudança invariavelmente acontece, quer você goste disso ou não. É melhor que as transformações aconteçam sob seu controle e sua opção. Aproveite, portanto, a estada do Sol em Escorpião para detonar as mudanças de que você necessita e que, às vezes, fica adiando, por acomodação ou mesmo por (desculpe a franqueza!) covardia.

Duas dicas importantes para você.

Primeira dica:

Pode valer a pena contemplar o Escorpião e Orion, nos céus. São duas das mais belas constelações e facilmente identificáveis.

A partir do dia em que o Sol entrar em Escorpião, você poderá contemplar ambas as constelações, seguindo esse esqueminha simples:

Logo após o pôr do Sol, você poderá avistar Escorpião, na direção do poente.

Posição do Escorpião, logo após o por do Sol.

 

A partir das 22h, mais ou menos, você avistará Orion, na direção do nascente e poderá acompanhar a trajetória do caçador pelos céus, até o amanhecer.

Posição de Orion por volta das 22h

 

Posição de Orion por volta das duas da manhã.

Posição de Orion pouco antes do amanhecer

Observe que os horários indicados não estão considerando o Horário de Verão.

Se você não conseguir ver esses belos espetáculos celestes hoje, não se preocupe: durante os próximos dias, você poderá acompanhar essa mesma movimentação, em horários muito parecidos aos que estão sendo indicados.

Vale a pena! Contemplar os céus e perseguir as constelações é um exercício de infinitude e eternidade. Abastece a nossa alma e faz um contraponto à finitude terrena onde estamos aprisionados.

Segunda dica:

O eterno livro “O Pequeno Príncipe”, de onde extraímos o conceito do veneno da transmutação, acima indicado e de onde podemos colher a pérola abaixo, grande e imorredoura lição de senso de mistério:

“O essencial é invisível aos olhos!”

Mercúrio em quadratura com Plutão

Nesta terça-feira, dia 02 de Outubro, ocorre este tenso aspecto entre Plutão, o Senhor das Sombras, e Mercúrio, Senhor de Todos

os Caminhos, convidando-nos a uma reflexão sobre os nossos mergulhos interiores.

Entre as muitas lições que nos são dadas por meio das imortais páginas da Mitologia universal, um precioso tesouro se destaca: as narrativas das lutas e gestas dos heróis. Assim, ao longo dos séculos, a nossa imaginação vem sendo abastecida e alimentada com mitos que contam as façanhas de grandes personagens heroicos, como Perseu, Teseu, Hércules, Sigfried, Gilgamesh e muitos outros.

Jung

Jung

Sabemos da relação direta entre a mitologia dos heróis e a nossa própria história: a aventura do herói em busca de seus prêmios é o retrato da busca humana pelo crescimento emocional, desenvolvimento espiritual e felicidade. Carl Jung, o criador da psicologia do inconsciente coletivo, chegou a atestar que a história do herói se confunde com o processo humano de individuação.

É fácil, até, compreender as causas disso: o herói é sempre filho de um deus e uma mortal (ou vice-versa), o que traduz a dicotomia entre o seu lado divino e seu lado humano. É ou não é um fiel retrato simbólico dos dilemas humanos, crucificado que está o homem entre a verticalidade de suas buscas transcendentais e a horizontalidade de sua condição terrena?

Eis aí porque a mitologia dos heróis, dentre todas as formas de narrativa mitológica, tanto nos fascina. Mais próximos de nós do que os intocáveis deuses, os heróis representam a nossa maior possibilidade de redenção.

É um ponto comum na Mitologia heroica universal que, em algum momento de suas aventuras, o herói é obrigado a realizar um mergulho no inferno ou em uma região de trevas ou numa caverna profunda ou até mesmo a barriga de um gigantesco peixe ou qualquer coisa parecida. Essa é a kathábasys, o mergulho no infra, o que simboliza o mergulho no inconsciente, a fim de enfrentar os próprios demônios interiores. Somente após passar por essa etapa, o herói estará pronto para atingir os seus objetivos e alcançar a glória.

Hercules enfrenta Cérbero

Hercules enfrenta Cérbero

Quando Hércules, o maior de todos os heróis míticos, teve que mergulhar no Hades (os infernos, segundo a mitologia grega), o reino do deus Plutão, para capturar o temível Cérbero, o monstruoso cão tricéfalo, foi acompanhado pela deusa Palas Athena, deusa da sabedoria e da justiça e pelo deus Mercúrio, aquele que conhece todos os caminhos.

Assim tão bem acompanhado, até eu realizo façanhas!

A quadratura entre Mercúrio e Plutão é um indicativo da necessidade de mais um mergulho interior, para iluminar os nossos inferninhos emocionais. Aproveite esse momento para fazer o seu mergulho. Além de conhecer melhor a si próprio, você terá a chance de dominar, em si mesmo, forças nem sempre fáceis de conhecer e

compreender.

Se as sombras em nossos corações e mentes se tornam grandes demais, tornamo-nos vulneráveis às forças do infra, ou seja, às monstruosidades internas que nós mesmos geramos e alimentamos. É preciso, portanto, expulsar os piores demônios que temos que enfrentar: os ranços, as mágoas e os temores de dentro de nós. Manter o coração e a mente limpos, agir com justeza, perdoar sempre, eis a melhor profilaxia para tais males.

Mercúrio

Nunca é demais lembrar que o planeta Mercúrio é aquele que rege, simbolicamente, a Alquimia. E para transformar o chumbo de nossa alma impregnada de ranços no ouro de uma espiritualidade elevada e nobre, precisamos realizar a kathábasys, ou seja, mergulhar para transformar.

Durante esta semana, a quadratura entre Mercúrio e Plutão irá mostrar o caminho. Talvez nem sempre de maneira fácil. Talvez você se veja diante de situações, pessoas ou fatos que façam aflorar à superfície muito do que sempre se manteve oculto em você, padrões emocionais e comportamentais muito antigos. E a boa notícia é que esse afloramento pode propiciar descobertas e transformações profundas e significativas.

Fique atento.

A propósito: durante essa semana, cuidado com o que você disser. A palavra terá um indizível poder de impacto e transformação. Tanto a palavra dita internamente, em seus diálogos internos, quanto aquela dita interpessoalmente. Use-a com sabedoria.

O Rei Leão, Studios Disney

Dica cinematográfica: “O Rei Leão” (The Lion King, USA 1994), magnífico desenho animado dos Studios Disney, com uma das trilhas sonoras mais badalçadas da história do cinema, a cargo de Hans Zimmer e Elton John, onde você vai aprender como as sombras do passado podem destruir o seu futuro, quando não conhecidas e dominadas.