Triangulação entre Vênus, Saturno e Urano

Os planetas Vênus, Saturno e Urano se posicionam em triângulo, convidando-nos a uma reflexão acerca dos nossos relacionamentos e dos papéis que neles desempenhamos.

Conta uma bela passagem da mitologia grega que Zeus, o senhor do Olimpo, discutia com sua esposa Hera (ou Juno) sobre quem tinha mais prazer no ato sexual: o homem ou a mulher.

Zeus e Hera

Zeus e Hera

Resolveram pedir ajuda a Tirésias, o sábio.

Tirésias, que é mais conhecido por sua participação no mito de Édipo, havia testemunhado, na sua juventude, à cópula de um par de serpentes encantadas e foi agraciado, por conta disso, com a possibilidade de viver como mulher durante sete anos.

Era Tirésias, portanto, a pessoa mais indicada para dirimir a pungente questão que atormentava os soberanos dos deuses e dos homens.

Tirésias, o Sábio

Tirésias, o Sábio

Trazido à presença do real casal divino e instado a expressar o seu conhecimento, Tirésias respondeu que a mulher tem mais prazer do que o homem, no ato sexual, na proporção de dez para um.

Zeus delirou de felicidade com aquela resposta, pois essa informação criava para ele um caminho para justificar as suas muitas estrepolias amorosas: “Já que a minha mulher tem dez vezes mais prazer, eu posso ter pelo menos dez amantes!”

Irritada com a resposta, Hera impõe a Tirésias um castigo terrível: cega-o para sempre.

Para os mais desavisados, essa pode ser uma história de final triste para Tirésias. Mas, no sentido simbólico e mitológico, cegueira externa significa iluminação interior! E assim, o nosso herói Tirésias, por ter harmonizado as duas polaridades (o macho e a fêmea), alcança a suprema iluminação e conhecimento da Verdade.

Ficou conhecido como o mais sábio dentre os sábios e não havia segredo que ele não desvendasse. Graças a essa sabedoria, Tirésias pode ajudar Édipo a conhecer a verdade sobre si mesmo e sobre as terríveis verdades que se escondiam em Tebas. Essas verdades, no final da história, acabaram por levar Édipo também à cegueira, mas não a cegueira do castigo auto-impingido que pretende redimir as culpas,

como quis Freud, mas sim a cegueira da suprema iluminação.

A triangulação formada por Vênus, Saturno e Urano é um sinal do Cosmos para que busquemos cada vez mais essa harmonia entre as polaridades. Cono se precisássemos ativar o Tirésias dentro de nós, aquele que conhece ambas as faces do Ser.

Urano, no signo de Touro, confere formas diferentes à vivência do afeto, enquanto Saturno ajuda a estruturar e dar estabilidade.

 E a Vênus, no signo de Escorpião, ainda retrogradando, traz a possibilidade de regeneração de mágoas passadas e renascimento dos afetos.

Porém, a tensão representada pela oposição entre Vênus e Urano pode causar inquietações e ansiedades. É preciso saber lidar com isso, nesse momento, para não acabar lançando ao outro responsabilidades que não lhe caibam.

E a estrutura toda é ativada pela proximidade do Sol para com a Vênus e especialmente pela chegada da Lua, entrando em Touro e fazendo conjunção com Urano.

O momento exato da conjunção Lua-Urano acontece já no ápice da Lua Cheia, trazendo intensidade emocional ao momento.

Um momento que promete…

Tudo isso reforça a necessidade de maturidade nos relacionamentos e nos pede harmonização e integração, lembrando-nos que, sejamos homens ou mulheres, todos temos o macho e fêmea dentro de nós. E sobretudo nos relacionamentos afetivos e no mundo profissional, onde as polaridades se acentuam, temos que ser homens que sabem ser suaves; e mulheres que sabem lutar. Sem perder o poder de se encantar e se maravilhar diante da vida e sem perder a possibilidade de realizar os nossos sonhos e metas. E os sonhos e metas do outro diante de você.

Uma dica.

Se você vivencia, neste momento, uma relação, fique atento: a configuração triangular Vênus-Saturno-Urano pede expressão de afeto e demonstrações públicas e privadas desse afeto.

Portanto, não seja avaro de carinho, não poupe palavras gentis e gestos doces. Não permita que a dificuldade de observar as necessidades do outro venha a restringir seus sentimentos. E sobretudo espante o egoísmo que pode abalar as bases de seu afeto.

Detalhe importante.

Nesta quinta-feira, dia 25 de Outubro de 2018, a Lua nascerá em torno das 19h (Hora de Brasília). E aí por volta das 20h30, deverá estar alta o suficiente no céu para que você possa contemplar, mais abaixo dela, a estrela Aldebaran, alfa da constelação do Touro, a casa da Vênus, numa cena celeste de tirar o fôlego!

A imagem ao lado, montada graficamente em computador, dá uma ideia do que você verá.

Que tal convidar seu amado (ou amada) a visitar um local aprazível, a fim de contemplar esse magnífico espetáculo celeste?

Já desejo sucesso!

E que o amor vença sempre!!!

Anúncios

Sobre Haroldo Barros

Sou profissional da Astrologia e outras práticas da evolução humana há vinte e cinco anos. A minha contribuição para a ordem cósmica consiste em ajudar as pessoas encontrarem os caminhos e os meios de cultivar a própria felicidade.

Publicado em 25/10/2018, em Posts Astrais. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. Este artigo de hoje acertou em cheio no meu alvo, ou seja, em relação ao meu momento presente. Gratidão, sempre. José Mario Austregésilo

Faça seu comentário, pergunta ou sugestão!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: