Arquivo mensal: julho 2019

Marte em Trígono com Júpiter

Bela configuração envolve Marte e Júpiter, trazendo um indicativo de grandes possibilidades de inovação, de decisão e de ação.

 

Johann Wolfgang von Goethe

Johann Wolfgang von Goethe

Segundo o grande poeta-filósofo Goethe, talvez o maior dentre os grandes nomes do pensamento e da cultura germânica, existe uma fundamental verdade, relativa a todos os atos de iniciativa e de criação, cuja ignorância destrói incontáveis idéias e magníficos planos. Podemos enunciá-la da seguinte forma: desde o momento em que uma pessoa assume um compromisso de forma definitiva, a Providência também o assume. Dessa maneira, todos os seres que existem no Universo contribuem para concretizar o que, de outra forma, jamais teria ocorrido. Equivale dizer que a maioria de nossos planos, idéias e projetos fracassam simplesmente por falta de compromisso de nossa parte.

A configuração formada por Júpiter (em Sagitário) e Marte (em Leão) é símbolo de um significativo convite que faz o Cosmos para que você venha a assumir efetivamente esse compromisso: compromisso com a sua felicidade e realização; compromisso com o seu crescimento pessoal e profissional; compromisso com o seu desenvolvimento espiritual; compromisso com a felicidade e o bem-estar das pessoas a quem você ama e das pessoas que estão próximas a você; compromisso, enfim, com tudo aquilo que lhe é importante e valioso.

Essa bela configuração traz consigo poder e possibilidades de realização. Até mesmo por envolver dois planetas do elemento fogo, em signos de fogo. Ou seja, o momento é de decisão. E decisão + ação = prosperidade.

O trígono Marte-Júpiter irá mobilizar nossas paixões e mais intensas emoções para aquilo que queremos, como que a nos convidar ao impulso de realizar o que idealizamos.

Ou seja, o Cosmos abre as portas para as nossas maiores possibilidades criativas e inventivas!

Aproveite!

Um lembrete de Júpiter, porém, talvez seja válido: é essencial usar a sabedoria para discernir aquilo que realmente, verdadeiramente é digno de um compromisso. Sim, pois muitas vezes empenhamos nossas energias e nossos esforços em ideias ou projetos que não possuem outra função a não ser a satisfação momentânea de nosso ego ou de nossa auto-imagem egóica.

É importantíssimo, portanto, que, diante de uma ideia ou projeto, você sempre se pergunte: “Para quê desejo isto?” Essa pergunta irá fazer você refletir nos motivos que estão levando você à frente. Quando se der a resposta, pergunte-se novamente: “E para quê desejo também isso?” E, diante de cada resposta que você se der, continue perguntando-se: “Para quê?”, “Para quê?”, “Para quê?” até que você chegue à intenção da intenção ou à intenção final, ou seja, a um grande e excelente motivo para que você entre em ação. Isso permitirá a você discernir, com sabedoria, o sentido de suas ações e, seguramente, irá deixá-lo mais motivado para alcançar seus (verdadeiros) objetivos, assim como desistir ou descartar aqueles que não valem a pena.

Mas, lembre-se: a felicidade ou seus objetivos ou seus projetos não caem do céu. É preciso agir! A fortuna depende da ação e sorri aos que ousam. Portanto, depois de assumir o compromisso com esse objetivo, trace um plano de ação e vá à luta!!! Sim, pois lutar pelos seus objetivos e pela sua felicidade é uma das melhores formas de contribuir para a grande obra da Criação.

Lute e lute bem. Pela sua Vitória. Se não pela Vitória, pelo Amor, que sempre movimentou e movimentará o Sol e as demais estrelas. Se não pelo Amor, para a maior glória de Deus.

Dica Cinematográfica

O filme Homens de Honra (Men Of Honor – USA, 2001), dirigido por George Tillman Jr, estrelado por Cuba Gooding Jr, Robert de Niro e Charlize Theron, onde você vai conhecer a história (verdadeira!) de Carl Brashear, o primeiro mergulhador negro da marinha americana. Um homem que tinha algo a realizar. E soube criar uma visão e pagar o preço para edificá-la.Homens de Honra

E que preço!

Vale a lição!

Detalhe 1: Carl Brashear tem em seu mapa astrológico uma forte configuração envolvendo os planetas Urano e Júpiter, além de Saturno.

Além de harmonizar o fatores de expansão com os de contração, ainda precisou fazer uma revolução, vencer desafios que geraram uma reinvenção da realidade, para alcançar o que estabeleceu para si.

Detalhe 2: Cuba Gooding Jr, o ator que viveu o papel no cinema, tem em seu mapa astrológico o Sol em posição de ativação dessa configuração do mapa de Brashear. Talvez por isso o papel tenha lhe servido tão bem.

Anúncios

O Sol entra em Leão

Continuando o seu caminhar pela roda do Zodíaco, o luminoso astro do dia ingressa, neste dia 22 de Julho, no signo de Leão, seu signo de regência, dando início a um ciclo de valorização da consciência e celebração da vida e da Luz.

Quinto signo do Zodíaco, segundo do elemento fogo e segundo do ritmo fixo, regido pelo Sol, Leão simboliza o poder em estado absoluto, como emanado diretamente das Potências celestiais. Do ponto de vista simbólico-cosmológico, portanto, Leão representa a hierarquia universal que aponta o centro, ao redor do qual tudo circula, como o ponto central de uma circunferência, que, segundo a Geometria, define a própria existência da circunferência.

Esse conceito talvez possa ser relacionado com a ideia aristotélica do motor imóvel. Segundo Aristóteles, tudo que existe tem uma causa imediata que se conecta com outra, até chegar à Causa de todas as causas. Por exemplo, a lâmpada se acende porque alguém acionou o interruptor, ativando a corrente elétrica; a corrente elétrica circula pelos fios porque há uma usina hidrelétrica que a gerou; a usina gera a eletricidade graças ao movimento de uma grande quantidade de água, em queda; essa água, por sua vez é alimentada pelo ciclo hídrico do planeta; e assim por diante, até que nós cheguemos à Causa sem causas de todas as causas, ou aquilo que Aristóteles chamou de motor imóvel: algo que movimenta tudo mas não é movimentado por nada.

Nas monarquias, a figura do soberano é o receptáculo desse poder divino, representativa do Princípio que regula todas as coisas (tanto que a palavra Príncipe deriva de Princípio). Esse grande Princípio regulador, Poder pleno do Universo, é simbolizado pelo signo de Leão. Não é à toa que o leão é o rei dos animais.

Do ponto de vista humano, Leão representa a vitória do Espírito sobre o Ego, ou seja, a fagulha mais divina em nós vencendo os excessos egóicos que nos inflam de desmedido orgulho e centralizadora tirania.

Portanto, durante a estada do Sol no signo de Leão, o Cosmos nos convida a uma maior conscientização do que devemos fazer para encontrar o nosso caminho rumo à Luz; e, por outro lado, nos convida à conscientização de que somos meramente portadores e não possuidores dessa Luz. Mais ainda: essa Luz, quando em nós, enquanto portadores, só tem sentido se servir para iluminar os nossos irmãos.

E, sendo o signo de regência do Sol, propõe-nos celebrar a Vida, comemorando, de todas as formas possíveis, a vida que nos é oferecida e que, como bem disse Gonzaguinha, é bonita, é bonita e é bonita.

Detalhe

Logo após entrar no signo de Leão, o Sol fará quadratura com o planeta Urano, que transita no signo de Touro, desencadeando processos de quebras de padrão e/ou conflitos de autoridade (aguarde artigo sobre o tema). Fique atento para não meter os pés pelas mãos e usar o seu poder e seu carisma com sabedoria.

Um abraço apertado e votos de mil felicidades a todos os leoninos, esses luminosos e encantadores seres !!!!

O planeta Vênus entra no signo de Câncer

Em seu contínuo caminhar pelo círculo zodiacal, o planeta Vênus ingressa, neste dia 03 de Julho, no signo de Câncer, dando início a um ciclo de interiorização em busca do sentimento e da afetividade.

Assim como a ostra se recolhe e, em seu interior, elabora a pérola de magnífica beleza, assim como a semente lançada ao solo se recolhe ao interior da mãe terra a fim de fazer brotar a futura plantinha, da mesma forma, o ser humano precisa, por vezes, interiorizar-se, recolher-se, a fim de resgatar a dimensão do belo existente dentro de si.

CâncerA entrada de Vênus no signo de Câncer indica que é hora de fazer esse mergulho. E isso não quer dizer que você vá se privar do prazer de estar com quem você ama para ficar paparicando-se a si mesmo, narcisicamente, diante do espelho. Contudo, como dizia Emerson, você pode viajar o mundo inteiro à procura do belo, mas só o encontrará se levá-lo dentro de você.

É esse belo que precisamos o tempo todo resgatar e revitalizar.

Esse processo de interiorização, proposto pela passagem do planeta Vênus em Câncer, que se estenderá até o dia 27 de Julho (quando Vênus entrará no signo de Leão), irá nos ajudar a entender melhor duas coisas:

primeira, a poética que podemos conferir ao amor, fazendo da relação uma verdadeira fonte de encanto;

segunda, a compreensão da nossa capacidade de receber amor. Sim, porque sempre se fala em dar e saber dar amor, mas também é importante saber recebê-lo de forma simples e boa.

Saber receber, portanto, é arte. É a capacidade de fazer belo e importante o que se tenha. É a arte de bastar-se com o real em vez de chorar o impossível. E é, sobretudo, saber fazer feliz quem dá o amor, pois este se sentirá capaz de dar muito.

Reflita…

Importante notar que, ao longo do seu trajeto pelo signo de Câncer, Vênus faz um ângulo altamente favorável e estimulante com Netuno, Vênustrazendo ao momento ainda mais sensibilidade e afetividade. Então, aproveite: um certo clima de gostosa e nostálgica melancolia paira no ar, durante a estada de Vênus em Câncer.

Portanto, ponha para fora o seu seresteiro interior, acorde o seu poeta adormecido, resgate o apaixonado estudante que você foi um dia, pois o romance à antiga ainda tem muito o que nos encantar.  

E para celebrar esse encanto poético, nada melhor do que… poesia!!!

Invoquemos pois o parnasiano Olavo Bilac, o grande Bilac, que soube como ninguém retratar a mágica poética do amor, no Soneto XXXI da Via Láctea, que é um verdadeiro espetáculo de força lírica e romantismo.

Ei-lo:

Longe de ti se escuto, porventura,

O teu nome que uma boca indiferente

Entre outros nomes de mulher murmura

Sobe-me o pranto aos olhos, de repente…

 

Tal aquele que, mísero, a tortura

Sofre de amargo exílio, e tristemente

A linguagem natal, maviosa e pura

Ouve falada por estranha gente…

 

Porque teu nome é para mim o nome

De uma pátria distante e idolatrada

Cuja saudade ardente me consome:

 

E ouvi-lo é ver a eterna primavera

E a eterna luz da terra abençoada

Onde, entre flores, teu amor me espera.

 

Dica Cinematográfica O filme Só Precisamos de Amor (Den skaldede frisør ou Love Is All You Need, Dinamarca, França, Itália, 2012), da diretora Dinamarquesa Susanne Bier, que se tornou mundialmente conhecida pelo filme Em Um Mundo Melhor (Hævnen, Dinamarca, 2010).

Love-Is-All-You-NeedUma bela produção, com uma fotografia de tirar o fôlego, em que você vai ver esse mesmo clima melancólico ser o terreno fértil para o cultivo do amor, com todo o seu poder de transformação e renovação.

Você vai ver o ator Pierce Brosnan, famoso por interpretar o James Bond, o agente 007, fazer um improvável e acidentado par romântico com a bela atriz Trine Dyrholm e aprender sobre o poder das escolhas calcadas no amor e respeito próprios, associados a uma justa e saudável valorização do outro.

Eclipse Solar Total em 02 de Julho de 2019

Um dos mais belos fenômenos da natureza – o eclipse solar total – ocorre nesse dia 02 de Julho, trazendo uma grande carga de significados para a Humanidade.

Sempre que ocorre um eclipse, mil e uma histórias são contadas e recontadas, evocadas de um passado distante, cujos conceitos teimam em assombrar o imaginário do homem moderno com prenúncios de catástrofes ou de espíritos agourentos.

total-solar-elipse-diamondring-1Folclores à parte, as grandes questões que se propõem são as seguintes: qual o significado de um eclipse e como se verificam os seus efeitos em nossa vida cotidiana?

A palavra eclipse vem do grego ekleipsis, que significa, em uma tradução livre, desmaio. Do ponto de vista astronômico, um eclipse ocorre quando a luz de um astro é ocultada por outro ou pela sombra de outro. No caso presente, o Sol é ocultado, pois ficará, no momento da Lua Nova, “por detrás” do disco lunar. Ou seja, a Lua, entre o Sol e a Terra, impede que a luz solar chegue até nós, causando uma inesperada e momentânea noite, quando já é dia.

Do ponto de vista astrológico, um eclipse significa um desmaio, uma falência de uma das luzes celestes que compõem a totalidade da psique. Afinal, é isso o que os astros representam: partes da alma. E já que tudo está relacionado entre si, quando uma dessas luzes se apaga, no céu, apaga-se também a correspondente luz dentro de nós.

Um eclipse, portanto, representa um desmaio que ocorre dentro de nossa psique, um apagão emocional que desencadeia uma espécie de black-out daquela parcela de nossa alma.

Um detalhe: após a escuridão, a luz ressurge, após o desmaio, retorna a consciência. Ao retornar a luz, porém, não somos mais os mesmos. Algo foi reformulado, inapelável e inevitavelmente, pela escuridão do eclipse. Ou seja, o pós-eclipse enseja um renascimento e uma transformação.

O eclipse ocorre aos dez graus do signo de Câncer, signo das dimensões familiares, da emoção, da ligação com o passado. Se você já tem o seu mapa astrológico, poderá avaliar que área da vida (que Casa astrológica) ou que planetas serão mais afetados pelo fenômeno.

Lembramos que Câncer está associado aos conceitos de memória e nutrição. O eclipse é um convite a uma reflexão acerca daquilo a que precisamos relembrar em nossa vida; assim como, aquilo que precisamos nutrir, fertilizar em nossa vida e nossos comportamentos.

Ao ressurgir do black-out, o Sol nos traz a possibilidade de ir além da forma de nossa própria estrutura egóica, a fim de redefinir a nossa identidade, especialmente no que diz respeito aos nossos desejos e nossas paixões.

Como disse Chaplin, aquilo que é mais profundo em teu ser, daí emergem os teus mais verdadeiros desejos; e dos teus mais verdadeiros desejos, daí charlie-chaplinemerge a tua mais inabalável vontade.

E essa vontade será capaz de construir o nosso destino.

Porém, às vezes é preciso demolir para depois reconstruir. E se não demolimos o que precisa der demolido, o destino se encarrega de ajustar as coisas para nós, mesmo que de maneiras nem sempre suaves.

Nós, seres humanos vivemos ofuscados pelo nosso próprio brilho e exuberância ou pela iridiscência da insana sociedade que construímos. Às vezes, é preciso que um pouco dessa luz se apague para que, na suave penumbra de nossa alma, possamos contemplar a inteireza de nossa essência.

Durante os dias seguintes ao fenômeno, sob impacto do eclipse, você pode aproveitar a oportunidade para refletir sobre a sua necessidade de ação e impulso. E começar a agir de acordo.

Uma sugestão: o eclipse terá seu ponto máximo às 16h16 (hora de Brasília).

Procure acompanhá-lo. Se você não reside na zona que será sombreada, pode assistir a alguma transmissão ao vivo pela internet.

Além de ser um belíssimo espetáculo celeste (e inteiramente gratuito, diga-se de passagem), o fato de contemplar, do lado de fora, o apagar da luz do Sol, poderá ajudar a compreender, do lado de dentro, o desmaio de nosso Sol interno.

O fenômeno poderá ser visto na maior parte do território brasileiro, mas apenas parcialmente. Ou seja, para os brasileiros, o eclipse será parcial e não total.

Dica Cinematográfica

Cena de Eclipse Mortal

O filme Eclipse Mortal (Pitch Black, USA, 2000), dirigido por David Twohy e estrelado pelo fortão Vin Diesel. Aparentemente, um filme de ficção científica de aventura, com um toque de terror, sem maiores pretensões. Mas ilustra muito bem o conceito do que acontece com a alma humana após o “desmaio”. Vale a pena conferir. Mas só para quem estiver a fim de olhar bem de perto a cara de seus demoninhos interiores, que o apagar das luzes às vezes mostra!