Arquivo do autor:Haroldo Barros

O Sol entra em Touro

Nesta sexta-feira, dia 20 de Abril, o  astro-rei adentra o signo de Touro, inaugurando um ciclo em que a consciência

nos convida a perceber a forma das coisas.

 Associado ao animal que, nos primórdios da civilização, ajudou o homem a arar a terra, o signo de Touro nos fala das fôrmas e formas que os seres tomam em sua manifestação no plano material, a fim de bem cumprir sua missão. Observe-se que essa forma externa pode variar, permanecendo imutável, porém, a substância interior.

Do ponto de vista filosófico, substância (do latim substantia) é o que há de permanente nas coisas que mudam, o suporte sempre idêntico das sucessivas qualidades resultantes das transformações. Uma substância pode apresentar-se sob diversas características, que são os elementos individualizadores de um determinado ser.

Podemos resumir dizendo que a substância é essencial e a característica é acidental.

Existe na Química um conceito análogo, talvez até diretamente relacionado, referente a um fenômeno denominado alotropia, que se define como sendo a possibilidade de um mesmo elemento se apresentar sob diversos formatos, designados estados alotrópicos. Os átomos do elemento Carbono, por exemplo, podem assumir várias estruturas cristalinas, ao agrupar-se, gerando diferentes manifestações físico-químicas.

Resultado: dependendo da forma como os átomos se agruparam, o Carbono pode se apresentar tanto como carvão ou grafite quanto como diamante!!!

Parece incrível que o material mais duro que a ciência conhece até hoje (o diamante) e um outro, tão maleável (o grafite) que, em contato com uma folha de papel, deixa rastros, fragmentos de si mesmo, são compostos, em essência, da mesma substância (embora com características individuais marcadamente diferentes)!!!

Utilizando esses conceitos da Filosofia e da Química como ilustração e trazendo-os para a nossa vida prática, podemos perguntar: que formas características você está escolhendo para a manifestação de sua essência neste mundo? Tem sido uma forma adequada, eficiente e agradável ou fora de foco, ineficiente e maçante? Você tem optado por vestir a fôrma do bom guerreiro, heróico e combativo, que sabe o que quer e aprende com as lições da vida ou encarnar o pobre-coitado, sempre vítima das circunstâncias e que anseia que alguém ou algo o salve do mundo?

Durante a estada do Sol em Touro, que irá estender-se até o dia 20 de Maio (quando o Sol adentra o signo de Gêmeos), o Cosmos nos convida a repensar a forma que estamos imprimindo à nossa substância. Muitos aspectos desafiadores no céu, nos próximos dias desse ciclo taurino, estarão forçando você a uma reflexão, aparentemente simplista, porém muito eficiente, em termos de mudança de atitude: você tem sido parte do problema ou parte da solução, ao longo de sua vida? Essa escolha pode ser o determinante da diferença entre felicidade e infelicidade, saúde ou doença, prosperidade ou miséria.

E sempre com o aval de nosso supremo livre-arbítrio.

Desejamos a todos os nossos amigos e leitores taurinos uma feliz celebração de aniversário!

Como reflexão, a paulada filosófica de George Bernard Shaw, escritor, critico, teatrólogo irlandês:

 

A vida é uma pedra de amolar. Ela vos desgasta ou vos afia, dependendo do material de que sois feitos.

Anúncios

O Sol em quadratura com Plutão

Inquietante crise entre estes dois planos da alma, indicando momentos de desafiadora tensão, tanto interna quanto externa.

“Luz e sombra são nossas irmãs. Devemos aprender as lições de uma e os ensinamentos de outra.”

leonardo-boff-2013Esse conceito, do teólogo Leonardo Boff, retrata bem a ideia da quadratura entre Sol e Plutão: o Sol, o radioso astro do dia, representa o nosso lado mais luminoso, lúcido, alegre. Já o planeta Plutão, representa a parcela de nossa alma mais obscura, sombria, infernal (e não adianta negar que cada um de nós tem essa parte em sua alma, não é mesmo?).

A quadratura entre esses dois planos da alma fica exata neste dia 11 de Abril e indica um momento em que o mais conflituoso e paradoxal dos seres vivos, o homem, vive uma crise que põe, de um lado, o que se deve ocultar e de outro, o que se deve revelar. Sob este aspecto, lembre-se: há segredos que merecem ser desvelados e há segredos que merecem ser velados.

Por outro lado, fique atento: a quadratura entre o Sol e Plutão poderá indicar, inclusive a revelação de certos sentimentos desagregadores, muito profundos e até mesmo muito assustadores, pois, ao aflorar à superfície, podem traduzir mágoas antigas ou medos ancestrais, frutos de velhas feridas de caráter emocional.

joaquim_nabucoMas lembre-se de que, como dizia Joaquim Nabuco, as almas mais ricas não são aquelas onde há mais sementes de coisas por nascer, mas sim aquelas onde há maiores resquícios de coisas mortas.

Na realidade, são apenas alguns fantasmas que podem ressurgir das sombras (suas sombras, lembre-se) para assustar você um pouco. E, como dizia Virgínia Woolf, às vezes é mais difícil matar um fantasma do que uma realidade. Portanto, se você for assaltado por sentimentos estranhos, de caráter destrutivo ou desagregador, procure mergulhar um pouco mais fundo na origem ou no significado deles, a fim de exorcizar as suas famigeradas assombrações. Sobretudo no campo afetivo, onde a razão é, via de regra, escanteada,  esse caso se complica ainda mais, podendo desencadear processos dolorosos e destruidores.

Por outro lado, o momento se torna bastante propício para a investigação de tais sentimentos, de suas raízes emocionais.

Então, se algum de seus demoninhos resolver dar o ar de sua graça, passeando aqui pela superfície, aproveite para dar-lhe uma bela rasteira, amarre bem o danado e não o deixe escapar.

Aí você poderá conhecê-lo e, conseqüentemente, controlá-lo, reintegrando-o à Psiquê consciente. 

Dica Cinematográfica

E por falar em Virgínia Woolf, a nossa dica é o filme As Horas (The Hours, 000B1B34-CA95-1E4C-A3B180C328EC0000USA, 2002), dirigido por Stephen Daldry e estrelado por um super elenco: Nicole Kidman (na foto ao lado, em cena do filme, no papel de Virgínia Woolf), Julianne Moore, Merryl Streep e Ed Harris. Trata-se de um drama psicológico de primeira linha, baseado no livro homônimo de Michael Cunningham.

Você vai conhecer as histórias de três mulheres que, em três momentos diferentes da História, lutam, cada uma à sua maneira, para equacionar e equilibrar a luz e as trevas dentro de si.

Marte em conjunção com Saturno

Encontro entre o combativo Marte e o estruturado Saturno, neste início de Abril de 2018, no Signo de Capricórnio, indicando a possibilidade de iniciar e desenvolver empreendimentos e conquistas.

Qual o principal atributo de um guerreiro?

A força? A coragem? A combatividade?

Segundo Napoleão Bonaparte, considerado o maior estrategista militar de todos os tempos, a primeira grande virtude de um soldado é a resistência. Só depois, virá a coragem.

Esse é um tema polêmico.

Na verdade, segundo o simbolismo astrológico, não se pode conceber um guerreiro sem duas grandes virtudes: a força e a disciplina.

Podemos dizer, portanto, que um guerreiro nada mais é do que um determinado potencial combativo, sob a mais Troy Achillesestrita disciplina. Um soldado sem disciplina não é um guerreiro e sim um arruaceiro.

Já dizia o sábio Sun Tzu, autor de A Arte da Guerra, que a coragem e a força são atributos da juventude, enquanto que a prudência e a disciplina são frutos da maturidade. Bem, você não tem que ser necessariamente jovem (em termos cronológicos, bem entendido, pois o que define a idade não são os anos) para se sentir forte e impetuoso; nem tem que esperar chegar à velhice para ser prudente e sábio. O ideal é que você encontre o ponto de equilíbrio que lhe permita otimizar e maximizar os seus potenciais.

O encontro entre Marte e Saturno, no signo de Capricórnio, é um sinal do cosmos para que nos esforcemos para unir, dentro de nós, a força e a disciplina, a combatividade e a estratégia, a coragem e a paciência.

É chegada a hora de fazer o que deve ser feito, de dar andamento às coisas que estão emperradas e engavetadas, traçando, com inteligência, os passos a serem dados e a energia a ser alocada.

Detalhe: Capricórnio é o signo de regência de Saturno e de exaltação de Marte. Ou seja, ambos então extremamente favorecidos e bem colocados, neste signo. Portanto, um encontro desses dois astros aí indica excelentes auspícios. Os projetos iniciados nesse momento já nascem absolutamente impregnados de possibilidades de realização e sucesso.

Bem, o que você está esperando???

Porém, observe: a conjunção Marte-Saturno é um indicativo cósmico de que podemos alcançar o que buscamos, se estivermos dispostos a lutar por isso, mas, sobretudo, se estivermos dispostos a fazer os necessários sacrifícios para tal.

Por exemplo, você conhece alguém que foi capaz de realizar grandes sonhos, transformando-os em realidade?

Se sim, provavelmente você estará falando de alguém que sacrificou domingos, feriados, momentos com a família e os amigos, para dedicar à construção desse sonho.

Uma outra questão se impõe: alcançar o que desejamos significa SABER o que desejamos.

Óbvio?

Nem tanto…

Muitas vezes sabemos o que NÃO queremos: não quero mais sofrer por essa pessoa, não quero mais trabalhar nisso ou naquilo, não quero mais me envolver com pessoas desse ou daquele tipo…

Muito bem, então isso é o que você NÃO quer…

E o que você QUER?

Ser capaz de expressar isso com clareza é o primeiro passo para o sucesso desse seu empreendimento.

Portanto, aproveite os auspiciosos sinais celestes para fazer uma reflexão sobre como você tem tratado os seus desejos, objetivos, metas. E diga para você e para o Universo esse desejo. O Cosmos inteiro poderá ajudar você a mobilizar os recursos necessários para alcançar, desde que… você de fato o conheça com a necessária clareza e precisão.

E mãos à obra!

Análise Cíclica

Independentemente da qualidade própria desse momento, sinalizada pela conjunção Marte-Saturno, do ponto de vista ciclológico cabe também uma observação.

ciclo sinódico entre dois planetas se dá da seguinte maneira: na conjunção (quando os dois astros se encontram no mesmo grau do Zodíaco), inicia-se um ciclo, novas sementes são lançadas, algo novo começa. O astro mais rápido continua avançando e, na oposição (quando os astros estão a 180º), esse ciclo atinge o seu máximo. Nesse ponto, as sementes lançadas no momento da conjunção frutificam (para bem ou para mal) e rendem resultados. Mas, entre a conjunção e a oposição e vice-versa existem dois momentos em que os astros se colocam em quadratura (a 90º um do outro). Os pontos de quadratura representam momentos de crise, de oportunidade. A quadratura crescente (entre a conjunção e a oposição) está relacionada a crescimento. Às vezes, nesta fase, faz-se necessário um ajuste ou reordenamento de metas, para que os projetos ou vivências iniciadas na conjunção continuem ou até mesmo se extingam de vez. Já a quadratura minguante (entre a oposição e a conjunção) está relacionada a uma crise que solicita novos ajustes, porém com vistas ao encerramento do processo.

E, na nova conjunção, o ciclo é definitivamente encerrado e um novo se inicia.

Alguns desses ciclos duram um mês, como é o caso dos ciclos envolvendo a Lua. Outros duram vinte anos, como é o caso do ciclo Júpiter-Saturno. E outros ainda duram aproximadamente dois anos ou dois anos e meio como é o caso deste ciclo Marte-Saturno.

Quando observamos esse tipo de ciclo, percebemos que o tempo e seu desenrolar em nossa vida fica impregnado de significados. E vivemos em meio a uma infinidade desses ciclos, que se mesclam e se interpenetram entre si. O ciclo entre Marte e Saturno é um dos mais importantes para nós, pois associa esses dois elementos de vital significação emocional e prática.

A vez mais recente em que Marte e Saturno fizeram uma conjunção foi em Agosto e Setembro de 2016. Avalie com cuidado: que sementes você lançou, nos entornos desse momento? Que projetos ou vivências você iniciou aí?

Marte e Saturno fizeram uma quadratura crescente em Janeiro de 2017. Pergunte-se: que tipo de crise de ajustamento seu projeto ou vivência passou, durante esse momento?

A oposição Marte-Saturno ocorreu em Maio e Junho de 2017. Aí aconteceu o apogeu do ciclo. Que frutos você colheu?

A quadratura minguante entre Marte e Saturno ocorreu entre Outubro de 2017. Eis aí o momento da crise final, o princípio do fim do ciclo.

E a conjunção a ocorrer neste Março-Abril de 2018 encerra o ciclo iniciado em Agosto-Setembro de 2016 e começa outro, que deverá desenrolar-se da seguinte maneira:

Quadratura Crescente:Janeiro de 2019;

Oposição: Junho de 2019;

Quadratura Minguante: Outubro-Novembro de 2019;

Nova conjunção: Março-Abril de 2020.

-Mulan-disney-35696390-298-424Fique atento. E aproveite para usar os momentos cíclicos a seu favor, em vez de nadar contra a correnteza cósmica.

A propósito: a conjunção Marte-Saturno ocorre aos nove graus de Capricórnio. Se você já tem o seu mapa astrológico, observe em que casa astrológica ocorrerá esse fenômeno e você terá uma ideia de que área da vida irá ser ativada pela força conjugada esses dois astros.

Dica Cinematográfica

Mulan, dos Estúdios Disney, onde você entenderá o poder da força e da disciplina colocados a serviço de um ideal.

O Sol Entra em Áries: Equinócio!

Equinócio de Outono, assinalado pela entrada do Sol no signo de Áries,
primeiro do Zodíaco.

A escolha do dia 1º de Janeiro como data inicial do ano civil e primeiro dia do calendário nada mais é do que uma mera convenção social. A Astrologia, como “relógio qualificador do tempo” e ciência que estuda os ciclos cósmicos, indica-nos de forma diferente o início do ano, apontando-o para o momento em que o Sol entra no signo de Áries, primeiro do Zodíaco, símbolo do início e do impulso, da aventura do começar.

EquinócioPrecisamente às 13h15, neste dia 20 de Março, ocorre o Equinócio de Outono (para o Hemisfério Sul; de Primavera para o Hemisfério Norte), coincidindo com o momento em que o Sol chega a 0º (zero graus) de Áries. Esse momento marcante caracteriza-se por um interessante fenômeno astronômico (e simbólico): o dia e a noite têm exatamente a mesma duração (a palavra “equinócio” é oriunda de “aeque nocte” =  “noite igual” ao dia).

O signo de Áries, simboliza o fogo inicial da Criação, o impulso da Aventura.

Mitologicamente, Áries está associado ao mito da busca do Velocino de Ouro, em que o herói grego Jasão organiza uma expedição composta por mais de cinqüenta dos maiores e melhores heróis da Grécia, entre eles, Hércules, Castor e Pólux, Peleu, Orfeu. A bordo da nau Argo, os aventureiros, cognominados “Argonautas”, viajam até a Cólquida, na Ásia Menor, passando por mil peripécias para conquistar a pele de ouro do carneiro Crisômalos, filho de Netuno, que tinha poderes miraculosos. O leme da nau fora construído com madeira do bosque sagrado de Dodona, consagrado a Palas Athena, que lhe conferiu a capacidade de falar, guiando os navegadores.

A entrada do Sol em Áries inaugura, portanto, um ciclo em que o Cosmos nos convoca à aventura, ao arriscar-se, ao lançar-se.

Com a entrada do Sol em Áries comemoramos a Primavera Cósmica, mesmo que o Equinócio seja de Primavera apenas para o Hemisfério Norte, enquanto que, no Hemisfério Sul, inicia-se o Outono.

É que o signo de Áries está associado ao conceito do grande impulso e por isso Carneiroà Primavera. Importante ressaltar que a palavra “primavera” vem do latim “primus + veritas” (= primeira verdade).

Áries é, portanto, a primeira verdade expressa pelo sagrado círculo do Zodíaco. E, durante a estada do Sol neste signo, temos a mais propícia época para iniciar novos projetos, lançar novas sementes ou mesmo reativar velhos projetos que andavam meio adormecidos.

Aproveitamos para desejar a todos um Feliz Outono e um Ano Novo Solar pleno de crescimento e prosperidade!!!

E aos arianos, feliz aniversário!!!

Marte entra em Capricórnio

Neste dia 17 de Março, o Planeta Marte adentra o signo de Capricórnio, iniciando um ciclo
de estímulo da força, da coragem e da capacidade combativa.

O planeta Marte está simbolicamente associado ao deus grego Ares, o senhor da guerra, o mais violento e combativo dos imortais do Olimpo. Marte era acompanhado por um séquito de divindades guerreiras e seu único prazer eram as batalhas, quaisquer que fossem elas. Era chamado de gradivus, que significa “aquele que marcha a passos largos” e de enyalios, que significa “o belicoso”.
Astrologicamente, Marte representa a capacidade combativa do ser humano, sua disposição de luta, seu ânimo guerreiro, o impulso emocional. A afirmação da individualidade e da identidade.
A passagem de Marte em Capricórnio, signo da integralidade, do aperfeiçoamento e da realização, é um convite do Cosmos ao resgate do guerreiro realizador em nós, ativando-o com força total.

Hora, portanto, de dar um chega pra lá na preguiça, na acomodação, no conforto, em tudo, enfim, que nos paralisa e impede de avançar. Especialmente o medo.

Vamos ativar o guerreiro estratégico, frio e calculista, focado e eficaz, que nos conduzirá, a passos largos, na direção da vitória.
Lembre-se sempre de que viver é lutar. Descendo à arena e enfrentando os desafios, damos o pontapé inicial, desencadeando os processos que permitirão construir o que queremos. Mas é preciso vencer a inércia inicial, que nos enche de medo e nos prostra. Se optamos por ir à luta, a coragem se redobra e se retroalimenta; se, por outro lado, fugimos do combate, cada vez mais somos tomados pelo pânico, cada vez mais nos imobilizamos e prostramos, tornando-nos vulneráveis aos combates que a vida nos impõe.
Capricórnio é o signo de exaltação de Marte, ou seja, onde ele alcança suas maiores potencialidades. Portanto, é hora de vencer o medo e agir.
Se você teme o desafio, acabará se escondendo por trás de uma camada de falsa segurança, que só irá adiar a batalha.

Marte permanecerá transitando em Capricórnio até o dia 16 de Maio de 2018, quando ingressará no signo de Aquário. Porém, iniciará um movimento retrógrado em 26 de Junho e volta a entrar em Capricórnio em 12 de Agosto. Retorna ao movimento normal em 27 de Agosto e entra definitivamente em Aquário a 10 de Setembro.

Ou seja, o fenômeno que ora estudamos se repetirá no segundo semestre deste 2018.

Melhor! Assim aproveitamos mais.

Lembre-se do que disse o grande escritor Guimarães Rosa, na voz do personagem Riobaldo, um misto de jagunço e filósofo, no magnífico romance Grande Sertão: Veredas: “Viver é muito perigoso!” Viver, portanto, é constantemente arriscar-se e o risco faz parte do jogo da vida.
Para concluir, o conceito alardeado por Kung Fu Tse (o Confúcio) e apropriado por Leonardo da Vinci:
“O maior guerreiro é aquele que vence a si mesmo.”
Sobretudo, completamos, aquele que vence o próprio medo.

 

Marte em trígono com Urano

Belo aspecto entre o ativo Marte e o inovador Urano, neste dia 11 de Março de 2018, trazendo possibilidades
celestes de inovação, de decisão e de ação.

 

Johann Wolfgang von Goethe

Johann Wolfgang von Goethe

Segundo o grande poeta-filósofo Goethe, talvez o maior dentre os grandes nomes do pensamento e da cultura germânica, existe uma fundamental verdade, relativa a todos os atos de iniciativa e de criação, cuja ignorância destrói incontáveis idéias e magníficos planos. Podemos enunciá-la da seguinte forma: desde o momento em que uma pessoa assume um compromisso de forma definitiva, a Providência também o assume. Dessa maneira, todos os seres que existem no Universo contribuem para concretizar o que, de outra forma, jamais teria ocorrido.

Equivale dizer que a maioria de nossos planos, idéias e projetos fracassam simplesmente por falta de compromisso de nossa parte.

O trígono formado por Marte (em Sagitário) e Urano (em Áries), é símbolo de um significativo convite que nos faz o Cosmos para que você venha a assumir efetivamente esse compromisso: compromisso com a sua felicidade e realização; compromisso com o seu crescimento pessoal e profissional; compromisso com o seu desenvolvimento espiritual; compromisso com a felicidade e o bem-estar das pessoas a quem você ama e das pessoas que estão próximas a você; compromisso, enfim, com tudo aquilo que lhe é importante e valioso.

Essa belíssima configuração traz consigo poder e possibilidades de realização. Talvez por envolver dois signos do elemento fogo, símbolo das energias irradiantes, ígneas do espírito humano; ou ainda por ativar Urano, o mais irreverente e inovador  e Marte, o mais resoluto e combativo dos astros. De uma forma ou de outra, o momento é de decisão. E decisão + ação = prosperidade.

 Irá mobilizar nossas paixões e mais intensas emoções para aquilo que queremos, como que a nos convidar ao impulso de realizar o que idealizamos.

Ou seja, o Cosmos abre as portas para as nossas maiores possibilidades criativas e inventivas!

Aproveite!

Um lembrete, porém, talvez seja válido: é essencial usar a sabedoria para discernir aquilo que realmente, verdadeiramente é digno de um compromisso. Sim, pois muitas vezes empenhamos nossas energias e nossos esforços em idéias ou projetos que não possuem outra função a não ser a satisfação momentânea de nosso ego ou de nossa auto-imagem egóica.

É importantíssimo, portanto, que, diante de uma ideia ou projeto, você sempre se pergunte: “Para quê desejo isto?” Essa pergunta irá fazer você refletir nos motivos que estão levando você à frente. Quando se der a resposta, pergunte-se novamente: “E para quê desejo também isso?” E, diante de cada resposta que você se der, continue perguntando-se: “Para quê?”, “Para quê?”, “Para quê?” até que você chegue à intenção da intenção ou à intenção final, ou seja, a um grande e excelente motivo para que você entre em ação. Isso permitirá a você discernir, com sabedoria, o sentido de suas ações e, seguramente, irá deixá-lo mais motivado para alcançar seus (verdadeiros) objetivos, assim como desistir ou descartar aqueles que não valem a pena.

Mas, lembre-se: a felicidade ou seus objetivos ou seus projetos não caem do céu. É preciso agir! A fortuna depende da ação e sorri aos que ousam. Portanto, depois de assumir o compromisso com esse objetivo, trace um plano de ação e vá à luta!!! Sim, pois lutar pelos seus objetivos e pela sua felicidade é uma das melhores formas de contribuir para a grande obra da Criação.

Lute e lute bem. Pela sua Vitória. Se não pela Vitória, pelo Amor, que sempre movimentou e movimentará o Sol e as demais estrelas. Se não pelo Amor, para a maior glória de Deus.

Dica Cinematográfica

O filme Homens de Honra (Men Of Honor – USA, 2001), dirigido por George Tillman Jr, estrelado por Cuba Gooding Jr, Robert de Niro e Charlize Theron, onde você vai conhecer a história (verdadeira!) de Carl Brashear, o primeiro mergulhador negro da marinha americana. Um homem que tinha algo a realizar. E soube criar uma visão e pagar o preço para edificá-la.Homens de Honra

E que preço!

Vale a lição!

Detalhe 1: Carl Brashear tem em seu mapa astrológico uma forte configuração envolvendo os planetas Urano e Júpiter, além de Saturno.

Além de harmonizar o fatores de expansão com os de contração, ainda precisou fazer uma revolução, vencer desafios que geraram uma reinvenção da realidade, para alcançar o que estabeleceu para si.

Detalhe 2: Cuba Gooding Jr, o ator que viveu o papel no cinema, tem em seu mapa astrológico o Sol em posição de ativação dessa configuração do mapa de Brashear. Talvez por isso o papel tenha lhe servido tão bem.

Vênus entra no signo de Áries

         Em seu contínuo caminhar pela roda do Zodíaco, o planeta Vênus ingressa no signo de Áries, dando início a um ciclo de ativação do Amor e da Beleza.

Sendo Áries o primeiro signo do Zodíaco, símbolo por excelência do impulso inicial, da grande aventura do começar, a entrada de qualquer planeta em seus domínios é um indicativo do início de um novo ciclo zodiacal para aquele planeta.

A entrada de Vênus em Áries, nesse dia 06 de Março (Vênus ficará transitando em Áries até o dia 31 de Março, quando ingressa em Touro), portanto, é uma indicação poderosa do convite que nos faz o Cosmos a darmos novos impulsos às energias do feminino em nosso interior, a ativar nossos potenciais artísticos e criativos e, até mesmo, a resgatar a aventura e o dinamismo eSofrimentom nossos relacionamentos.

É fácil perceber todo o conjunto de fatores que contribuem para a exaltação dessa que se tornou a maior força emocional do Ocidente: o amor romântico. A literatura, o cinema, a música, enfim, muito do que circula ao nosso redor nos repete, incessantemente, que “é impossível ser feliz sozinho”.

Tomados por essa febre, saímos em busca de uma suposta “alma gêmea”. E quando acreditamos encontrar essa criatura, descarregamos nela, impiedosamente, todas as nossas expectativas e ansiedades, construindo uma imagem irreal, composta dos nossos próprios desejos e fantasias. Na maior parte das vezes, a “vítima” não consegue corresponder a essa imagem, o que nos frusta e decepciona, fazendo-nos concluir que “o amor é difícil” ou “amar é sofrer”.

Refletir sobre essas coisas talvez ajude você a chegar mais perto de compreender o amor verdadeiro. Afinal, ele existe sim. Mas lembre-se: o amor verdadeiro não é egoísta nem individualista; ele só se realiza à medida em que a felicidade do outro se realiza e à medida em que temos a coragem de abdicar de nossos próprios excessos egóicos a fim de contemplar, na face do outro, a Obra do Criador.

nunca-vou-entender-pedra-papel7E, claro, tem que ser conquistado todo dia.

Por outro lado, nesses tempos de aspereza, em que competir é mais importante do que cooperar, em que vencer é mais importante do que compartilhar, Vênus nos convida a (re)descobrirmos o valor da beleza, da Arte e a graça.

É necessário, porém, que todos façam a sua parte: cada um é responsável por contribuir para esse resgate, ativando em si a candura, o humor e a sensibilidade. Você até pode não ser um grande artista, capaz de realizar uma obra mirabolante, mas lembre-se sempre de que Viver é a suprema arte e o seu sorriso, a sua candura e o seu charme serão peças importantes no processo de escultura e moldagem de um novo painel universal, artisticamente belo e verdadeiramente transformador.

Dica CinematográficaMelhor impossivel

O filme Melhor é Impossível (As Good As It Gets, USA 1997), comédia romântica dirigida por James L. Brooks e estrelada por Jack Nicholson e Hellen Hunt, premiados com o Oscar de melhor ator e melhor atriz por suas atuações nessa película.

Você vai conhecer a história de um insuportável escritor obsessivo-compulsivo e uma garçonete desencantada com a vida. E dessa improvável dupla, eclode uma relação em que ambos aprenderão a cultivar o sentimento e a contemplar os efeitos de sua ação sobre o desabrochar do outro.

Vênus em sêxtil com Plutão

Belo aspecto entre esses dois planos da alma, indicando a possibilidade de transmutação do amor, em suas mais sublimes formas.

Há um interessante mito, uma das mais belas páginas da mitografia grega, que vale a pena conhecer: a história de Orfeu e Eurídice.

Orfeu diante de Plutão e Perséfone

Orfeu diante de Plutão e Perséfone

O belo Orfeu chamava a atenção pelo seu magnífico talento musical. A suave música da sua lira tocava, com sua plangência poética, o coração de quem quer que a ouvisse. Apaixonado por sua esposa, Orfeu tem, na beleza de Eurídice, a fonte de sua inspiração. O cruel destino, porém, não permitiria que por muito tempo mais perdurasse essa felicidade.

Orfeu se vê vítima da mais terrível tragédia: ao fugir de um importuno pretendente, a desafortunada jovem corria pelos campos quando pisa, em sua desabalada carreira, numa serpente que se ocultava na relva. O traiçoeiro réptil reage imediatamente, picando-a e inoculando-lhe o seu peçonhento veneno.

Eurídice morre, não sem antes murmurar, com seu último alento, o nome do amado.

Inconformado com a perda, Orfeu parte em direção ao Hades, o reino do inferno, região sombria governada por Plutão, para onde iam os mortos, decidido a trazer de volta a sua Eurídice ou morrer tentando.

Ao chegar ao coração do reino das sombras, Orfeu é recebido por Plutão e sua esposa Perséfone, a quem faz o pedido de ter de volta a sua esposa. Imaginando que a sua música poderia falar melhor, Orfeu toma de sua lira e canta a mais terna canção de amor. O dedilhar do amante arranca do instrumento acordes que ressoam por todo o Hades, a ponto de aquecer, por um instante, o sombrio reino. Nem mesmo o impiedoso Plutão deixa de ser tocado pela arrebatadora melodia e concede que Orfeu possa levar de volta ao mundo dos vivos a sua esposa, com uma condição: ela deveria seguir atrás dele, em silêncio, e ele não poderia olhar para trás, sob pena de ser desfeito o trato.

E assim partiu Orfeu, na longa viagem de volta à superfície, seguido pela silenciosa Eurídice. Na iminência de alcançar a saída, Orfeu acaba sucumbindo à desconfiança: com medo de ter sido enganado, olha para trás, apenas para ver Eurídice

Orfeu perde Eurídice

Orfeu perde Eurídice

desaparecer diante de seus olhos.

Desperdiçada a última chance, Orfeu vive infeliz até o fim de seus dias.

Lamentável…

Essa história nos traz uma significativa lição: no que diz respeito ao amor e à qualidade das nossas relações, de vez em quando é preciso mergulhar fundo a fim de resgatar a originalidade dos sentimentos, a intensidade do amor e do companheirismo.

Algumas correspondências simbólicas possíveis

Agora, vejamos.

Nós,astrólogos,somos sempre apaixonados por símbolos e temos a manis de interpretar tudo…

Com esse lindo mito, não seria diferente. Portanto, mãos à obra!

O veneno da cobra são os nossos próprios ranços e emocionalidades. O Reino de Plutão pode ser interpretado como os nossos inferninhos pessoais, ou seja, o nosso underground emocional, sede dos nossos demoninhos particulares. A viagem de Orfeu representa o nosso mergulho nessa infernalidade pessoal, a fim de revolver o que temos de mais oculto e sombrio, em nossas crenças sobre o amor. A música de Orfeu está associada à harmonia compassiva, a capacidade de olhar para nós mesmos enquanto responsáveis por nossa condição, sem culpar o outro.

Olhar para trás, significa o hábito de trazer para nossas relações os hábitos, vícios, medos e angústias de todas as nossas relações anteriores.

E é por isso, por conta desse “olhar para trás”, que de vez em quando, sem percebermos, ficamos imaginando o porquê de nossas relações nos trazerem as mesmas e mesmas problemáticas. Passada a fase da descoberta, do encanto inicial, começamos e não nos sentir atendidos pelo outro, em nossas necessidades egóicas. E nos pegamos pensando: “Estou vivendo esse mesmo tipo de situação, de novo? Como eu consegui cair mais uma vez nessa mesma armadilha”

Parece familiar?

A semana promete

Durante esta semana, com o sêxtil (ângulo de sessenta graus) entre Vênus e Plutão, nós teremos a possibilidade de lançar a luz da compreensão sobre os obscuros meandros das nossas emoções a fim de trazer de volta à superfície, revitalizada, a essência do afeto verdadeiro.

Portanto, aproveite o momento para aquela conversa séria, para aquele recomeço, para dar um fim naquela crise que não tem mais sentido, enfim, para resgatar o romantismo que, afinal de contas, só morre se você permitir.

Mas lembre-se: não cometa o mesmo pecado de Orfeu, ou seja, não olhe para trás. Não fique trazendo as mágoas do passado, os ranços emocionalísticos, os ciúmes egocêntricos, os obstáculos, enfim, que impedem a paz que o amor precisa para florescer. A luz do Sol permitirá dissolver os ranços e mágoas, permitindo um novo começo.

Rupert Everett e Michelle Pfeifer em cena de Sonho de Uma Noite de Verão

Rupert Everett e Michelle Pfeifer em cena de Sonho de Uma Noite de Verão

Detalhe: tanto Vênus quanto Plutão recebem influxos altamente positivos de Júpiter. Então, tudo será sempre melhor se houver celebração: risos, alegria e festa serão a mais perfeita marca de momentos que têm tudo para ser sublimes. E um mimo também ajudará: um presentinho, por simples que seja, poderá ter .efeitos bombásticos

Aproveite o astral desse momento e arme situações assim.

E aproveite-as bastante!

Dica literário-cinematográfica: Sonho de uma noite de verão, de W. Shakespeare.

Ou sua versão cinematográfica (A Midsummer Night’s Dream, de Michel Hoffman. USA, 1999.

Uma bela adaptação, muito bem dirigida e estrelada). E você terá a chance de entender (ou ao menos vislumbrar) os estranhos e muitas vezes cômicos mecanismos do amor.

O Sol entra no signo de Peixes

Dando continuidade ao seu eterno caminhar pela roda do Zodíaco, o Sol adentra o signo de Peixes, neste dia 18 de Fevereiro, iniciando uma fase de contemplatividade e busca espiritual.

Terceiro signo do elemento água, do ritmo mutável, o último signo do Zodíaco, Peixes representa o final de um ciclo, o momento em que, ao fim de uma jornada, alcançamos o resultado esperado e quedamos a contemplar a Obra da criação.Pisces

Mitologicamente, o signo de Peixes está associado aos dois delfins que, penalizados com o sofrimento de Netuno, o deus dos mares, ajudaram-no a conquistar a bela Amphritite, filha do titã Oceano. Os dois dedicados animais cruzaram os sete mares, vencendo a fome, os perigos e o cansaço, até conseguirem trazer Amphritite para os braços do amado.

Agradecido pelo sacrifício feito pelos delfins, Netuno houve por bem premiá-los, imortalizando-os nos céus, como um exemplo de doação e altruísmo, transformando-os na constelação de Pisces (os Peixes).

Trata-se de uma bela constelação, de visualização difícil, dividida em duas constelações menores, o Peixe Austral e o Peixe Boreal, unidas por uma estrela chamada Al Rischa, que, em árabe, significa o nó.

PiscesArquetipicamente, Peixes está associado ao Mar, o Grande Mar, berço de toda a Vida, de onde a Vida vem e para onde a Vida retornará.

Como gotinhas no caudal de um rio, vamos trilhando o curso que nos leva a esse Grande Mar. E quando lá chegamos, deixamos de ser gotinhas para, dissolvendo-nos no Oceano, confundirmo-nos com ele.

A entrada do Sol no signo de Peixes, neste dia 18 de Fevereiro de 2017, convoca-nos, portanto, para observarmos a Vida e a natureza com os olhos do contemplador, a fim de preparar-nos para a grande aventura que se começará quando o Sol entrar em Áries, o Iniciador. E nos convida a uma maior e mais efetiva busca espiritual, lembrando-nos que o eu não é a última instância do real; e que a realidade superficial das coisas é muito menos importante do que a Ordem superior em que ela se baseia.

Importante lembrar que, durante sua passagem pelo signo de Peixes, o Sol faz conjunção com o planeta Netuno, regente do signo de Peixes, num encontro que propiciará multiplicar, em nossa alma, os fatores de percepção ampliada da realidade.

Isso nos traz uma outra possibilidade: a de tomarmos consciência do significado transcendente das coisas que nos cercam.

A esse respeito, conta-se uma linda história sobre uma aventura vivida pelo grande poeta Olavo Bilac.

Conta-se que o dono de um pequeno estabelecimento comercial, amigo do poeta, abordou-o na rua, dizendo:

“Sr. Bilac, estou precisando vender o meu sítio, que o Senhor conhece muito bem. olavo_bilacSerá que o Senhor poderia ajudar-me a redigir o anúncio?”

Bilac pegou o papel e escreveu:

“Vende-se encantadora propriedade, onde cantam os pássaros ao amanhecer no extenso arvoredo, cortada por cristalinas e marejantes águas de um ribeirão. A casa, banhada pelo sol nascente, oferece a sombra tranquila das tardes na varanda”.

Meses depois, o poeta encontra novamente o homem e pergunta-lhe se já havia vendido o sítio.

“Desisti dessa ideia”, respondeu o homem. “Depois que li o anúncio que o Senhor redigiu, é que percebi o grande tesouro que tinha”.

Assim como o personagem dessa história, às vezes ficamos apartados de uma visão mais profunda e ampla da realidade que nos cerca. E perdemos muitas oportunidades por isso. Com a conjunção entre o Sol e Netuno, em Peixes, talvez possamos ter mais clareza acerca daquilo que, verdadeiramente, importa. E nos conduzir a mais perto de Deus.

Nossos parabéns e votos de uma feliz celebração de aniversário
a todos os piscianos.

 

Dica cinematográfica

O filme Irmão Sol, Irmã Lua (Fratello Sole, Sorella Luna, Itália/Reino Unido, fratello_sole_sorella_luna_1971_vhs-it1972), dirigido por Franco Zefirelli.

Um belo filme, onde você vai conhecer a história de um homem que sabia direitinho o que era mais importante e tinha uma visão claríssima do nosso papel no Universo e do trabalho que devemos realizar em prol de nossos irmãos. E inspirou e continua inspirando milhões de pessoas até hoje.

O nome desse homem: Giovanni di Pietro di Bernardone. Mais conhecido como São Francisco de Assis.

Franco Zefirelli

Franco Zefirelli

Detalhe: o diretor Franco Zefirelli tem, no seu mapa natal astrológico, o planeta Urano no signo de Peixes, recebendo excelentes influxos de Plutão e Júpiter. Talvez por isso tenha sabido usar tão bem uma arte pisciana por natureza (o cinema) para retratar uma personalidade tão lindamente pisciana como a de Francisco.

Carnaval Mágico!!! Triangulação Lua – Vênus – Urano

A Lua faz trígono com Urano e sêxtil com Vênus, trazendo magia,
irreverência e encanto ao Carnaval.

Talvez você já tenha ouvido falar da história que conta o famoso triângulo amoroso entre o Arlequim, o Pierrot e a Colombina. Essa bela e clássica história foi imortalizada através do famoso poema “As Máscaras”, de Menotti del Picchia.

A bela Colombina

Conta essa linda história que o Arlequim e o Pierrot se apaixonaram, sem o saber, pela mesma mulher, uma linda e loira Colombina, sedutora e romântica. Puseram-se a contar, um ao outro, as venturas e desventuras de seus respectivos amores. O Arlequim, ousado e sensual, falava do ardente beijo que, uma noite, por entre rubras tulipas e brancos lírios, trocara com a misteriosa Colombina, que desaparecera logo após, deixando atrás de si um rastro de volúpia.

Já o Pierrot, melancólico e sonhador, contou ao Arlequim do olhar profundo e apaixonado, silencioso e sutil, que arrancara suspiros de sua Colombina, em um banco de jardim. E ambos se queixavam do destino, que lhes afastara de suas amadas, sem que nunca mais as vissem.

Nem sequer desconfiavam que falavam da mesma mulher.

Pierrot

A Colombina, por sua vez, tinha o seu coração dividido: seu corpo ansiava pelo toque ousado e quente do Arlequim; sua alma sonhava como o olhar meigo e triste do Pierrot. Lamentava não ver reunidas, em um só ser, a sensualidade das carícias de um e a profundidade do olhar do outro.

Quando finalmente os três se encontram, num fatal acaso, e fica desnudada toda a inebriante trama, a Colombina se diz apaixonada por ambos e declara que encontraria a paz se pudesse ofertar ao Arlequim o seu corpo e ao Pierrot a sua alma.

Esta fascinante história ocorre constantemente, no carnaval de nossas almas. O nosso Arlequim interior, que nos liga à terra, ao prazer e à beleza, nos convoca à concretude e ao  pé-no-chão; por sua vez, o nosso Pierrot interior, que nos liga ao Céu, à magia e ao encantamento, nos chama ao sonho e à poesia. E sabemos que nem sempre os dois se entendem lá muito bem, não é verdade?

Neste Sábado de Carnaval, teremos um momento em que os dois personagens interiores poderão estar mais em evidência. Vênus (que podemos associar ao nosso Arlequim interior) e Lua (que podemos relacionar ao nosso lado Pierrot) se colocam em posição de sessenta graus entre si, gerando uma aura de encanto: o terra-a-terra do Arlequim e o sonho do Pierrot se afinam, o que se estimula ainda mais pela presença de Urano, fazendo ângulos altamente positivos com Lua e Vênus, numa triangulação extremamente estimulante e mágica.

O Cosmos nos convida, portanto, a fazer trabalhar em conjunto esses dois pedaços de nossa alma, a fim de aproveitar o melhor de cada um.

Ao longo do reinado momesco, destemperos emocionais, porém, poderão colocar em teste essa harmonia, fazendo aflorar em nós as partes mais obscuras de ambos os personagens.

Arlequim

Fique atento, portanto.

Realize, mas com o coração e os olhos voltados para o seu sonho; sonhe, mas com as mãos voltadas para a realização desse sonho. E assim, seu Arlequim e seu Pierrot estarão em paz.

De quebra, um trecho do poema Máscaras do Céu e da Terra, os versos de um desconhecido poeta pernambucano, que bem retratam esse conceito:

 

( … )

Como Deus e o Diabo em meu peito,

Sinto a presença de Pierrot e Arlequim

Um chama ao Céu e o outro chama à Terra

Duelando por você dentro de mim.

 

Meu Arlequim dentro de mim é só desejo

Meu Pierrot a tua luz quer contemplar

No carnaval das emoções em que eu me vejo

Como fazer para esses dois apaziguar?

 

Mas, nos astros descobri esse segredo

Que permitiu a mais completa alquimia

E foi assim que conquistei teu coração

Me colorindo das cores da alegria

 

Pois, minha linda Colombina, te ofereço,

Unificados pelos fluidos do Amor,

A volúpia do meu beijo de Arlequim

E a magia de meu olhar de Pierrot.