Arquivo mensal: maio 2012

Mercúrio em quadratura com Marte

Ângulo duro entre Marte e Mercúrio, indicando a possibilidade de conflitos, ao longo da semana.

Neste dia 30 de Maio, Mercúrio e Marte se colocam em quadratura, ou seja, a uma distância de arco de noventa graus, uma configuração planetária, já por si só bastante explosiva: as palavras podem se tornar particularmente cortantes e agressivas. E, como se já não bastasse, Vênus e o Sol também afligem Marte, o que indica a possibilidade de violentos conflitos.

Pode haver dificuldades de entendimento, pois as pessoas não conseguirão ver o sentido do que as outras estão dizendo. Tenha em mente que pode haver uma grande distância entre o que você pensar e o que o outro entender de sua expressão desse pensamento. E, na maior parte das vezes, essa babélica situação poderá redundar em conflitos.

Portanto, durante toda essa semana, fique atento. Se você não tem nada importante para dizer, é melhor ficar calado, pois será difícil controlar os efeitos daquilo que dissermos, mesmo que com a melhor das intenções. As pessoas estarão mais “armadas”, do que nunca, predispostas a fazer ameaçadoras e apressadas leituras sobre tudo o que ocorrer a sua volta e, é claro, responder à altura, sobretudo porque podem ressurgir mágoas antigas e assuntos pendentes do passado.

Deixe para outro dia qualquer conversa séria, aquela reunião importante ou aquela discussão que você sabe que vai ser polêmica. E tome especial cuidado com acidentes, sobretudo aqueles que acontecem em deslocamentos, como no trânsito.

Por outro lado, se bem utilizada, essa energia pode ser transformada em inspiração e motivação. Você poderá usar da sua sabedoria para escolher o momento certo de dizer a coisa certa para a pessoa certa, da maneira certa.

Como reflexão astrológica um fragmento do livro O Profeta, de Khalil Gibran, o poeta do Líbano:

Em grande parte de vossas conversações, o  pensamento é meio assassinado. Pois, o pensamento é uma ave do espaço que,  numa gaiola de palavras, pode abrir as asas, mas não pode voar.

Anúncios

O Sol entra em Gêmeos

Continuando sua caminhada pelo Zodíaco, o Sol adentra o signo de Gêmeos, neste 20 de Maio, às 18h09, dando início a um ciclo de expansão mental e de integração entre as diversas partes que formam um todo.

Castor & Pólux

Castor & Pólux

Mitologicamente, o signo de Gêmeos, primeiro do elemento ar, está associado ao mito de  Castor e Pólux, chamados “os Dióscuros”.

Enamorado da bela Leda, esposa do rei Tíndaro, Zeus (Júpiter), senhor dos homens e dos deuses, metamorfoseia-se em cisne para seduzi-la. Da insólita união nascem, da semente de Zeus (e portanto imortais), Pólux e Helena; e da semente de Tíndaro (e portanto mortais) Castor e Cliptemnestra.

Estranhamente, ainda sendo filhos de pais diferentes, Castor

Leda e o Cisne

Leda e o Cisne

e Pólux eram absolutamente idênticos e cresceram unidos por profundo amor. Foram educados nas artes da guerra pelo centauro Quíron e tornaram-se grandes heróis e valorosos guerreiros.

Um dia, numa peleja fatal, Castor é mortalmente ferido. Vendo o amado irmão perecer em seus braços, Pólux é tomado de desesperada dor: não pode viver sem o irmão e até pretende dar cabo da própria vida. Porém, imortal que é, sequer isso lhe é permitido. Implora, então, a Júpiter que divida sua imortalidade com Castor, fazendo-o voltar à vida. O soberano dos deuses atende ao pedido e, mais tarde, tocado por tal demonstração de amor fraternal, resolve premiar os irmãos, catasterizando-os, isto é, transformando-os em constelação, no caso, na constelação de Gêmeos, onde permanecerão amorosamente abraçados para sempre, servindo, inclusive, de exemplo para os mortais.

Constelação de Gêmeos

Constelação de Gêmeos

A entrada do Sol em Gêmeos vem assinalar o início de um ciclo onde podemos e devemos promover o abraço entre as coisas que aparentemente são as mais díspares e contrastantes, buscando a inspiração espiritual, divina (representada por Pólux, o imortal) que nos permitirá realizar o material, o concreto (simbolizado por Castor, o mortal), casando o transcendente com o imanente.

E como Gêmeos é o primeiro signo de ar, regido por Mercúrio, pode ser por meio da palavra que se dê esse abraço, essa comunhão entre os opostos. Portanto, cuide para que a sua palavra seja veículo dessa comunhão, nunca de divisão.

Interessante notar que, pouco antes da sua entrada em Gêmeos, o Sol faz trígono (ângulo de 120 graus) com a Lua, o que indica a possibilidade de um resgate da poética em nós. Hora, portanto, de desenterrar e desengavetar aqueles velhos poemas incompletos ou abandonados; ou iniciar a produção, se você nunca a havia começado. E não venha me dizer que não é “bom” em fazer ou escrever poesias: de médico, de poeta e de louco todos nós temos um pouco, não é verdade? Mais importante ainda do que escrever poesias é adotar uma poética na vida, colorindo-a com a aquarela da magia e do encantamento.

Essa será a importante arma com que enfrentaremos os grandes desafios que por aí virão.

Como reflexão geminiana, as palavras do filósofo Soren Kierkgaard:

As verdades superficiais têm opostos necessariamente falsos; as verdades profundas têm opostos tão verdadeiros quanto elas

Kierkgaard

Kierkgaard

próprias.

Um abraço de parabéns a todos os geminianos!!!

Vênus entra em movimento retrógrado

Às 11 horas e trinta e dois minutos (Hora de Brasília) deste 15 de Maio, o planeta Vênus iniciou seu movimento retrógrado, inaugurando uma fase de reflexão sobre o amor e os relacionamentos.

O movimento retrógrado de um planeta indica que ele está andando para trás. Na verdade, trata-se de uma ilusão de ótica, causada pela concentricidade das órbitas planetárias. Nenhum planeta anda para trás, nos céus. Mas pode parecer que anda. Ao menos visualmente falando, anda mesmo.

Porém, do ponto de vista simbólico, esse aparente movimento de retorno tem significados importantes, que vale a pena conhecer.

Movimento planetário retrógrado

Movimento planetário retrógrado

Em Astrologia, o movimento retrógrado significa que a energia emocional daquele planeta tende a se tornar mais lenta, arrastada e atenuada. Durante a retrogradação, temos dificuldades de colocar em prática as habilidades ou talentos simbolizados pelo planeta.

Por outro lado, a retrogradação nos convida a uma reflexão acerca das nossas ações e omissões nos significados daquele planeta.

No caso de Vênus, planeta que rege o afeto, as relações, os sentimentos, somos convidados a uma reflexão sobre a maneira como podemos melhorar os nossos relacionamentos, especialmente a longo prazo. E também o que estamos fazendo e deixando de fazer para elevar a qualidade de nossas trocas relacionais.

Talvez você precise de uma forcinha para fazer essa reflexão, especialmente se não tiver clareza da necessidade dela… E o Cosmos pode se encarregar de criar essa oportunidade para você: seja uma crise, seja uma briga daquelas, seja um filme ou peça teatral… Algo pode desencadear processos que, mais ou menos dolorosos, mais ou menos fáceis ou difíceis, deverão contribuir para esse aprendizado. Se você estiver atento, claro!

Portanto, esteja atento!

A retrogradação ocorre quando Vênus está aos vinte e três graus do signo de Gêmeos, o que indica que, nessa nossa reflexão, devemos focar em resgatar a leveza das relações. Algumas dicas, portanto, para os próximos tempos de retrogradação venusiana:

  1. Controle a sua ansiedade. As coisas levam tempo para acontecer. E se você tentar apressar o processo pode até atrapalhá-lo ou mesmo impedi-lo;
  2. Abdique do controle. É impossível controlar o outro o tempo todo e isso certamente não é saudável nem para o indivíduo nem para a relação;
  3. Gêmeos é o signo da comunicação, portanto, comunique-se! Deixe claras as suas expectativas e busque esclarecer as expectativas do outro;
  4. Dê uma olhadinha nessa parte do Céu, se você já tem o seu Mapa Astrológico. Qualquer planeta ou ponto próximo aos 23 graus de Gêmeos, no seu mapa, pode ser afetado por essa retrogradação e ser arrastado por ela, o que pode, até mesmo, facilitar o seu processo de avaliação e reflexão;
  5. Foque o outro. Como diria o grande poeta Mário Quintana, “amar é mudar a alma de casa”.
  6. Dê movimento à sua história. Novas ideias ou práticas a dois poderão ajudar a desanuviar o horizonte.

A retrogradação de Vênus durará até o dia 27 de Junho. Portanto, você terá bastante tempo para as suas ações e reflexões.

Bom proveito!

Uma última dica: o filme “Tarde Demais para Esquecer” (An Affair To Remember, EUA, 1957), estrelado por Deborah Kerr e Cary Grant, um clássico do cinema romântico, onde você vai ver como as expectativas produzem ações e reações. E se você for mesmo do time romântico e cinéfilo, busque a música-tema, com o mesmo título, interpretada pela própria Kerr ou pelo inexcedível Nat King Cole.

Ah, e prepare um lenço…

Nos próximos dias, mais sobre Vênus: estrela de cinco pontas e cazimi sobre o Sol. Aguarde!

Marte em trígono com Plutão

Na próxima quarta-feira, dia 16 de Maio, os planetas Marte e Plutão se colocam em ângulo de 120 graus.

Marte, associado ao deus da guerra na Mitologia Clássica, representa o guerreiro dentro de nós. É quem nos dá a iniciativa e a coragem para as mudanças e para o crescimento.

Plutão

Plutão, já sabemos, é o detonador de mudanças e transformações. Associado ao deus grego Hades, é o representante de nossas forças inconscientes mais profundas.

Ao se colocarem em posição de trígono (120 graus de distância entre si), esses dois planetas nos indicam a possibilidade de uma transição e recomeço, não exatamente suave (pois Marte e Plutão sempre são explosivos), porém com maiores possibilidades de encaminhamentos positivos.

Observe o amigo leitor que Marte e Plutão estiveram em um ângulo semelhante, recentemente (ver artigo de 10 de Março) . Porém, naquele momento, Marte estava em movimento retrógrado, ou seja, andava para trás.

Marte

Marte

Agora, é um momento diferente, em que Marte e Plutão se posicionam novamente de maneira favorável, porém, Marte está em seu movimento normal.

Encaremos assim: a fase em que Marte esteve retrógrado (23 de Janeiro a 14 de Abril) pode ter nos deixado mais assustados ou temerosos de dar os passos que precisamos, ou mesmo pode nos ter deixado mais prostrados e sem energia.

Qual pode ter sido a utilidade de tudo isso?

Simples: fazer-nos reconhecer a nossa própria fragilidade, a nossa vulnerabilidade.

Esses pontos fracos emocionais se manifestam externamente (por meio de situações desafiadoras e difíceis) com mais ou menos intensidade, de acordo com o tamanho de nossos próprios monstros internos.

Ao aparecer o monstro, podemos tomar consciência da existência dele e das diabruras que arma.

Essa conscientização se dá com mais ou menos facilidade, de acordo com a maior ou menor disposição que tenhamos para reconhecer esse demoninhos que todos nós temos e alimentamos.

Agora, com o trígono de Marte a Plutão, temos a possibilidade de dar um belo chega pra lá nesses demoinhos e retomar as rédeas da nossa vida, caminhando a passos largos em direção àquilo que desejamos.

Além do mais, o planeta Mercúrio também se coloca em posição de trígono tanto a Plutão quanto a Marte, formando um lindo triângulo azul (chamado Grande Trígono), uma configuração rara e extremamente benéfica. Isso reforça as possibilidades positivas do momento, trazendo uma maior compreensão e ação estruturadora mais firme, já que o triângulo acontece nos signos de terra (Touro, Virgem e Capricórnio).

Para utilizar melhor as energias desse momento, que se estenderão durante toda a semana, você pode proceder assim, :

  1. Revisite tudo o que você passou, durante o período de retrogradação de Marte (23 de Janeiro a 14 de Abril). Reveja as crises que você viveu e analise qual o significado do monstro que teve de enfrentar. Lembre-se: o monstro é seu, não do outro. O outro foi apenas a manifestação externa de suas diabruras internas;
  2. Já que o monstro apareceu, acalme-se e olhe bem para ele. E descubra de onde, verdadeiramente, ele vem. Ou seja, de que tipo de sentimento ele está impregnado. Inveja, ciúmes, ódio e medo são sempre bons candidatos.
  3. Aproveite a força de ativação do trígono de Marte e direcione a ação transformadora que você quer desencadear. Afinal de contas, só vai valer a pena ter vivido a crise se tivermos a possibilidade de mudar. E só tem sentido mudar se for para melhor.
  4. Se você perceber que não pode lidar sozinho com esses demônios interiores, busque ajuda. Pode ser de um bom amigo ou mesmo de um profissional.

E lembre-se de que, se você não mudar esse padrão interior, corre o risco de viver, outra vez, situações semelhantes. Daqui a algum tempo, Marte pode ficar retrógrado de novo ou qualquer outra configuração difícil pode acontecer e, se você não estiver resolvido, lá virá outra crise, provavelmente mais violenta, para ver se dessa vez você aprende.

Portanto, cuide-se.

E que os astros lhe sejam favoráveis.

Como reflexão, trecho de “Grande Sertão: Veredas”, obra-prima de Guimarães Rosa,

Guimarães Rosa

Guimarães Rosa

na fala do personagem Riobaldo, ex-jagunço, meio filósofo meio sertanejo e certamente dono de um Plutão e um Marte em imorredoura ebulição:

“Viver ─ Não é? ─ é muito perigoso. Porque não se sabe, ainda. Porque aprender a viver é que é o viver mesmo.”

 

Superlua!!!

A Lua Cheia acontece às 00h35 do Domingo, dia 06 de Maio. Às 00h32 acontece o Perigeu, ou seja, o momento em que a Lua se coloca na posição de máxima aproximação da Terra.

Quando esses dois fenômenos (a Lua Cheia e o Perigeu) acontecem tão próximos um do outro (com diferença de apenas alguns minutos, nesse caso), temos um singular aumento do disco lunar, que se torna mais ou menos 14% maior.

Não é uma diferença tão grande assim… Na verdade, só uma pessoa mais afeita à observação celeste perceberá com clareza essa diferença. Porém, obviamente esse fenômeno traz significados simbólicos ricos e dignos de atenção.

Regente do sino de Câncer,  astro mais próximo da Terra, a sedutora Lua, também chamada de “o luminar das noites”, sempre esteve associada à magia , aos encantamentos e à poesia.

Diana, a deusa caçadora (chamada Ártemis pelos gregos), é irmã gêmea de Apolo (o Sol) e associada à Lua. O templo erigido em seu culto, em Éfeso, era considerado uma das sete maravilhas do mundo antigo.

Ainda criança, recebeu do pai, o poderoso Júpiter (Zeus), a graça de permanecer sempre virgem, intocável e intocada por qualquer deus ou mortal. Diana representa, portanto, o papel da fêmea indevassável, a donzela arisca, inconquistável, formando, juntamente com Palas Athena e Héstia, o grupo das chamadas “virgens brancas” do Olimpo. E aquele que ousasse ir de encontro a essa castidade era severamente punido. Assim foi com Actéon, o caçador (=buscador; simbolicamente, caçador é sempre representativo do homem, em busca do autoconhecimento, da iluminação, do Sagrado, etc.) que, escondido, pôs-se a contemplar encantado a bela Diana, enquanto esta se banhava nas frescas águas de um regato. O olhar da deusa, treinado pelas caçadas, pode perceber a presença do intruso, que sofreu terrível destino : com um gesto, Diana o transforma em cervo e Actéon é despedaçado e devorado pelos seus próprios cães de caça, que não mais o reconheciam.

Com o arco e as flechas recebidos de presente dos temíveis Ciclopes (gigantes de um só olho), Diana corria pelos campos, entretendo-se em movimentadas caçadas, sempre acompanhada de sua matilha de cães de caça e de oitenta ninfas, que lhe faziam as vezes de damas de companhia, todas absolutamente castas como sua senhora. Regente da arte da caça, impunha normas rígidas aos caçadores. Por exemplo, a fêmea prenhe não poderia ser abatida. Quem quer que descumprisse tal lei seria rigorosamente punido.

Tendo nascido antes de seu irmão gêmeo Apolo, Diana ajudou sua mãe quando do parto dele. Por isso, era sempre invocada pelas parturientes  gregas quando do nascimento de uma criança. Além disso, Diana era chamada de Paidotróphos, que quer dizer aquela que alimenta a criança. Por tais motivos, as crianças eram suas protegidas, sobretudo as meninas, que, até os oito anos, lhes eram consagradas, sendo chamadas arktoi (= ursinhas; o urso era um animal consagrado a Diana).

Astrologicamente, a Lua representa a parcela mágica da nossa psiquê, que é capaz de se encantar com as imagens internas e externas, capazes de alimentar e educar a nossa criança interior. Com suas quatro fases distintas, dividindo o seu ciclo zodiacal (de vinte e oito dias, o mais rápido dentre todos os astros), a Lua nos convida a refletir acerca da ciclologia da nossa própria vida e de nossas emoções: ora estamos em pleno processo de inspiração e desenvolvimento, como se fôssemos a Lua Crescente; e então ficamos plenos e inflados, como a própria Lua Cheia; depois, tendemos a minguar e murchar, como a Lua Minguante; e em seguida nos sentimos renovados e prontos a iniciar um novo ciclo, como a Lua Nova.

Retratando a Poesia e, mais até do que isso, a poética dentro de nossas vidas, a Lua, considerada o astro dos namorados, nos fala, através de sua luz suave, de sutileza e encantamento. Enquanto o Sol, com sua luz forte, é símbolo da consciência, da razão, da objetividade, do masculino, a Lua é símbolo do subconsciente, da magia, da subjetividade, do feminino.

Com a ocorrência dessa Superlua, qu testemunhamos hoje, estamos sendo convidados pelo Cosmos a sentir a mágica e a poética dentro de nós, que nos animam a mirar o alvo dos sonhos que buscamos realizar, retesando o arco da Poesia para disparar a flecha encantada da Magia, em direção ao Infinito, recuperando nossa capacidade de transformar abóboras em carruagens, sapos em príncipes, pererecas em princesas, resgatando o nosso dom de voar, buscar, sonhar e de se encantar com a realidade, que sempre pode ser bela.

 Uma poça d’água no meio da rua pode ser motivo de queixa para os desanimados e insensíveis. Mas, para quem quer lançar o pó de pirlimpimpim, a mesma poça pode ser o espelho encantado que reflete, no chão, o brilho iridiscente das estrelas, no céu.