Arquivo mensal: janeiro 2016

Vênus entra no Signo de Capricórnio

Continuando o seu eterno caminhar pela roda zodiacal, o planeta Vênus adentra o signo de Capricórnio, dando início a um ciclo de realização do amor integral.

Senhora dos afetos e amores, dos risos e das graças, a deusa grega Afrodite, miticamente associada ao planeta Vênus, é o símbolo do Amor, em suas diferentes formas e manifestações. Seu filho Eros (ou Cupido) era o encarregado de espalhar esse sentimento pelo mundo, entre os deuses e os mortais, através das flechas do desejo, disparadas pelo seu certeiro arco.

venusAo transitar pelo signo de Capricórnio (até o dia 16 de Fevereiro), Vênus nos impulsiona ao resgate do Amor, em sua plenitude e totalidade, convidando-nos à entrega integral ao sentimento. Ou seja, se você ama, deve amar por inteiro; e, mais importante : deve buscar a realização desse amor, consolidando-o, sedimentando e edificando. É importante, pois, que o sentimento e a realização afetiva estejam cristalizados sobre uma base sólida, de estruturas seguras. Afinal, nenhum edifício se sustenta sobre alicerces que não sejam provados e bem estaqueados.

Porém, lembre-se de que o verdadeiro Amor só se realiza na medida em que o ente amado se realiza; a tudo suporta e compreende; não é egoísta nem interesseiro.

É importante, igualmente, relembrar os dizeres de Platão acerca do Amor : o ser humano até pode começar por amar as belas formas, porém é necessário desenvolver o Amor pelas belas almas. O sentimento do Amor é eterno na exata medida em que o objeto desse sentimento é eterno; o Amor suscitado pelas belas formas é absolutamente finito e efêmero, uma vez que todo corpo encontrará, fatalmente, a dissolução; o Amor pelas belas almas, por seu turno, é eterno, uma vez que o objeto desse Amor, a alma, é eterna.

Em Shakespeare, Julieta, ao ouvir seu amado Romeu jurar-lhe amor eterno, roga-lhe que não o faça em nome da luminosa Lua, que, com suas quatro fases, é símbolo de inconstância e fluidez. É mais interessante, portanto, calcar o seu amor pelas estrelas, essas sim, eternas e imutáveis.

Dica Literário – Cinematográfica

2007_love_in_the_time_of_cholera_028O magnífico romance O Amor Nos Tempos do Cólera, do saudoso, inesquecível e inigualável Gabriel García Marquez, considerado um dos mais belos e encantadores romances do Século XX.

Uma belíssima história de amor! E com o  delicioso e inconfundível charme que caracteriza a escrita de Gabo.

Você vai conhecer Florentino Ariza, alguém que tinha Vênus em Capricórnio, provavelmente, um homem que se apaixona por uma bela mulher, de bela alma. E espera quase sessenta anos (!!!!) para poder consumar esse amor.

E, embora seja sempre muito difícil adaptar uma obra desse porte para o cinema, vale a pena conhecer o filme de mesmo título do diretor Mike Newell, produção colombiano-americana de 2007, com Javier Bardem no papel principal e uma participação especialíssima da atriz brasileira Fernanda Montenegro.

Sugestão: veja o filme. Mas leia o livro antes.

Certamente você não se arrependerá.

Anúncios

O Sol entra em Aquário

Continuando seu eterno caminhar pela roda Zodiacal, o radioso astro do dia ingressa, no dia 20 de Janeiro de 2016, às 12h27 (desconsiderado o Horário de Verão),  no signo de Aquário, iniciando um ciclo de busca das significações
celestiais, quando a consciência atinge níveis mais ideais.

 

Último signo do elemento ar e do ritmo fixo, Aquário está mitologicamente associado a Ganimedes, um jovem pastor da Frígia, que guardava os rebanhos de seu pai, o rei Trós.

Dotado de extraordinária beleza, a ponto de ser considerado o mais belo dos mortais, o jovem chamou a atenção de Júpiter (Zeus), o mais poderoso de todos os imortais e soberano do Olimpo. Num arroubo, apaixonado pelo belo pastor, o deus transmuda-se em águia (um dos atributos de Zeus, símbolo da Sabedoria) e o arrebata, conjugando-se carnalmente com ele, em pleno vôo e conduzindo-o ao Olimpo, morada dos imortais.

Ganimedes passa a desempenhar as funções de divino garçom, servindo aos deuses o néctar e a ambrosia, o vinho da imortalidade e da eterna juventude. Após o banquete dos imortais, o generoso Ganimedes despejava as sobras do licor celestial sobre a terra, inundando-a de benfazeja emanação.

Da mesma maneira que o divino escanção derrama sobre a terra o licor da imortalidade, devemos entender que o Céu faz recair sobre nossas cabeças toda uma chuva de harmonias e significações celestiais, fazendo-nos perceber que essas mesmas harmonias e significações podem (e devem) operar-se também na Terra.  Aquário representa, portanto, por excelência, o significado do famoso axioma atribuído a Hermes Trismegisto: “assim como encima é embaixo”. Ou seja, o macrocosmos (o Universo) e o microcosmos (o Homem) nada mais são do que reflexo e refletor um do outro. No interior do Homem subsistem, pois, todas as harmonias e infinitudes celestiais.

A entrada do Sol em Aquário é uma indicação de que a nossa própria luz interior nos torna permeáveis às bênçãos que o Céu derrama sobre nossas cabeças, convidando-nos a perceber, como nossos antepassados, as estrelas como pequenos furos num tecido escuro, através dos quais podemos vislumbrar a infinita Luz que o Criador nos reserva.

Reconhecendo essa mesma Luz em nosso interior, estamos aptos às grandes ações, idéias e revoluções. Portanto, aproveite o momento para dar vazão às suas próprias loucuras, ir além dos limites que, normalmente, nos atrapalham e impedem os passos.

Interessante notar que, ao longo de sua passagem no signo de Aquário, o Sol faz um ângulo altamente positivo com o planeta Urano, que é o regente do signo de Aquário.

Isso nos trará a possibilidade de dar um sentido mais elevado aos nossos projetos e ideias e, por outro lado, estimulará enormemente a nossa criatividade e inventividade.

Portanto, durante os dias da passagem do sol em Aquário, fique atento ao que aparecer na sua mente, pois podem ser os germens de grandes idéias, capazes de transformar a sua vida e a vida de muita gente ao seu redor.

Aquário nos permite e, mais do que isso, estimula-nos a todas as “loucuras” a que temos direito.

E lembre-se do que dizia Akira Kurosawa, o grande cineasta japonês: “Num mundo louco, só os loucos podem ser considerados sãos”.

Dica cinematográfica

O Grande DitadorO filme “O Grande Ditador” (The Great Ditactor, USA, 1940), dirigido e estrelado pelo genial Charles Chaplin, onde você vai ver um homem comum mudar os rumos da História, impelido pela sublime virtude da esperança.

De quebra, o discurso final proferido pelo barbeiro judeu, personagem brilhantemente vivido por Chaplin, naquele que é provavelmente o mais aquariano trecho da história do cinema.

_______________________________________________

Sinto muito, mas não pretendo ser um imperador. Não é esse o meu ofício. Não pretendo governar ou conquistar quem quer que seja. Gostaria de
ajudar a todos – se possível – judeus,  gentios… negros… brancos.

Todos nós desejamos ajudar uns aos outros. Os seres humanos são assim.  Desejamos viver para a felicidade do próximo – não para o seu infortúnio.
Por que havemos de odiar ou desprezar uns aos outros? Neste mundo há espaço para todos. A terra, que é boa e rica, pode prover todas as nossas
necessidades.

O último discursoO caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos. A cobiça envenenou a alma dos homens… levantou no mundo as muralhas do ódio… e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios. Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.

A aviação e o rádio aproximaram-nos muito mais. A próxima natureza dessas coisas é um apelo eloquente à bondade do homem… um apelo à fraternidade universal… à união de todos nós. Neste mesmo instante a minha voz chega a milhões de pessoas pelo mundo afora…
Milhões de desesperados, homens, mulheres, criancinhas… vítimas de um sistema que tortura seres humanos e encarcera inocentes.
Aos que me podem ouvir eu digo: “Não desespereis!” A desgraça que tem caído sobre nós não é mais do que o produto da cobiça em agonia… da amargura de homens que temem o avanço  do progresso humano. Os homens que odeiam desaparecerão, os ditadores sucumbem e o
poder que do povo arrebataram há de retornar ao povo. E assim, enquanto morrem homens, a liberdade nunca perecerá.

Soldados! Não vos entregueis a esses brutais… que vos desprezam… que vos escravizam… que arregimentam as vossas vidas… que ditam os vossos atos, as vossas idéias e os vossos sentimentos! Que vos fazem marchar no mesmo passo, que vos submetem a uma alimentação regrada, que vos tratam como um gado humano e que vos utilizam como carne para canhão!
Não sois máquina! Homens é que sois! E com o amor da humanidade em vossas almas! Não odieis! Só odeiam os que não se fazem amar… os que não se fazem amar e os inumanos.
Soldados! Não batalheis pela escravidão! Lutai pela liberdade!
No décimo sétimo capítulo de São Lucas é escrito que o Reino de Deus está dentro do homem – não de um só homem ou um grupo de homens, mas dos homens todos! Está em vós! Vós, o povo, tendes o poder – o poder de criar máquinas. O poder de criar felicidade! Vós, o povo, tendes o poder de tornar esta vida livre e bela… de fazê-la uma aventura maravilhosa. Portanto – em nome da democracia – usemos desse poder, unamo-nos todos nós. Lutemos por um mundo novo… um mundo bom que a todos assegure o ensejo de trabalho, que dê futuro à juventude e segurança à velhice.

É pela promessa de tais coisas que desalmados têm subido ao poder. Mas, só mistificam! Não cumprem o que prometem. Jamais o cumprirão! Os ditadores liberam-se, porém escravizam o povo. Lutemos agora para libertar o mundo, abater as fronteiras nacionais, dar fim à ganância,
ao ódio e à prepotência. Lutemos por um mundo de razão, um mundo em que a ciência e o progresso conduzam à ventura de todos nós. Soldados, em nome da democracia, unamo-nos.

Hannah, estás me ouvindo? Onde te encontres, levanta os olhos! Vês, Hannah?! O sol vai rompendo as nuvens que se dispersam! Estamos saindo da treva para a luz! Vamos entrando num mundo novo – um mundo melhor, em que os homens estarão acima da cobiça, do ódio e da brutalidade.

Ergue os olhos, Hannah! A alma do homem ganhou asas e afinal começa a
voar. Voa para o arco-íris, para a luz da esperança.
Ergue os olhos, Hannah! Ergue os olhos!

_________________________________________

E se você quiser apreciar a própria interpretação do grande Chaplin, clique no link abaixo:

O Grande Ditador

Aproveitamos para desejar a todos os aquarianos uma feliz celebração de aniversário!!!

Marte em trígono com Netuno

        

         Os planetas Marte e Netuno se colocam em trígono (ângulo de cento e vinte graus), indicando uma rara sintonia entre a força e a serenidade, a ação e a não-ação.

 

Lao TseO grande Lao-Tsé, filósofo e alquimista chinês do Século VI, nos fala da nobreza dos guerreiros pacíficos.

Guerreiros… pacíficos???

Como assim?

Esse pode ser um conceito estranho para a nossa civilização: guerreiros pacíficos…

Mas o grande mestre nos ensina que os guerreiros pacíficos são aqueles que têm a paciência para esperar que a lama assente e a água clareie. Permanecem imóveis até o momento oportuno, pois possuem três grandes tesouros: simplicidade, paciência e compaixão, o que os deixa em paz consigo mesmos e com o mundo.

O trígono entre Marte (em Escorpião) e Netuno (em Peixes) é um poderoso indicativo da possibilidade de resgatarmos a serenidade que nos permite enxergar a própria força. Contemplando-a, reconhecemos toda a potencialidade simples que ela traz; serenizando-nos, somos verdadeiramente fortes, capazes de lançar-nos aos combates que permitirão cristalizar todos os nossos objetivos.Heroi

No filme Herói (Ying Xiong, China, 2002), do diretor Zhang Yimou, há um personagem, vivido pelo ator Jet Li, chamado o Herói Sem Nome que, após dez anos de intenso treinamento em artes marciais, descobre finalmente a grande lição do filme, que é a grande lição a ser aprendida pelo guerreiro em nós: “O ideal de todo guerreiro é renunciar à espada!”

O difícil é discernir, de forma justa e sábia, qual a hora de embainhar a espada e qual a hora de desnudá-la. Marte e Netuno em trígono nos dizem que podemos brandir a espada no justo combate ou abdicar dela, em função de um bem maior.

Nos próximos dias, talvez você se veja em situações em que precise tomar esse tipo de decisão. E se isso acontecer, lembre-se: a sua escolha deve ser sempre feita em função de um bem maior.

Mas não confunda covardia com magnanimidade: a paz não nasce da ausência dos conflitos, mas sim de nossa disposição para enfrentá-los.

De presente, um texto de outro grande sábio chinês, o grande Chuang Tzu, pensador e escritor taoísta do Século IV a.C. :

 

Chi Hsing-Tzu estava treinando galos de briga para o Rei. Após dez dias, o Rei quis saber se eles estavam prontos.

Chuang Tzu“Não, ainda. São muito soberbos e confiam no próprio atrevimento”.

Mais dez dias e o Rei indagou de novo.

“Não, ainda. Eles ainda reagem aos ruídos e movimentos.”

Mais dez dias e tornou o Rei a perguntar. “Estão quase. Outro galo pode cantar sem que dêem sinal de mudança. A virtude deles completou-se. Os outros galos não ousam enfrentá-los, viram-se e correm.”

(Extraído de  Chuang Tzu  –  Escritos Básicos ,  Ed. Cultrix.)

 

Dica Cinematográfica

Além do acima citado Herói, indicamos  Os Sete Samurais (Shichinin no samurai, Japão, 1954), do cineasta japonês Akira Kurosawa, um dos Sete-samuraismaiores nomes do cinema em toda a história da Sétima Arte.

Você vai conhecer a história de sete guerreiros que resolvem desnudar suas espadas, em nome de um bem maior. E aprender como a ação (Marte) pode ser inspirada (Netuno) por algo que vai além dos próprios interesses individuais.

Destaque para a interpretação do grande ator Toshiro Mifune, que tinha em seu mapa natal o planeta Marte em conjunção com a posição atual de Marte: seis graus de Escorpião.

Uma curiosidade: esse grande filme de Kurosawa foi a inspiração para o famoso western Sete Homens e um Destino (The Seven Magnificent, USA, 1960).

(Efeitos do trígono Marte-Netuno entre os dias 11 a 25 de Janeiro de 2016)

Perspectivas Para 2016 à Luz da Astrologia

Olá, Amigos!
Aqui é o Haroldo Barros!

Todo final de ano é a mesma ladainha: a imprensa me perseguindo para saber quais são as previsões para o Ano Novo.

Ufa!

Obviamente, o que imprensa quer tem pouca relação com a maneira como nós vemos a Astrologia. De forma que eu quase que invariavelmente fujo da imprensa.
Mas isso não quer dizer que nós não possamos fazer a nossa análise.

E no dia 19 de de Dezembro, proferi uma palestra sobre o tema, na Loja Via Verde Recife, que tem um excelente espaço para esse tipo de bate-papo.

Clique na imagem e você poderá acessar o conteúdo integral da palestra.

Você conhecerá os efeitos da quadratura Saturno-Netuno e a crise de fé e crenças que daí poderá advir.

Assim como os poderosos efeitos do trígono Júpiter-Plutão e como poderemos alavancar a nossa reflexão sobre a missão de vida individual e o nosso sucesso.

Participe e comente. Sua opinião será muito bem-vinda.

Paz e Luz!!!

Haroldo 

P.S.:

Aproveito para enviar aos amigos meus votos de um 2016 cheio de realizações e muita alegria!!!

Haroldo